Menu
Busca quarta, 20 de fevereiro de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Motoristas de aplicativo prometem manifesto na Câmara

Eles querem a regulamentação municipal da categoria e pedem mais segurança devido o aumento de assaltos

11 fevereiro 2019 - 11h15Rayani Santa Cruz

Associação de Parceiros de Aplicativos de Transporte de Passageiros e Motoristas Autônomos de MS (Applic-MS), organiza manifestação com motoristas de aplicativos, na próxima sessão da Câmara de Vereadores, que ocorre na terça-feira (12). O objetivo é chamar a atenção da Casa para que haja celeridade na regulamentação municipal da categoria, barrada pelo Tribunal de Justiça (TJMS) e solicitar atenção maior às autoridades de Segurança Pública, devido o alto número de assaltos envolvendo motoristas.

De acordo com Paulo Pinheiro, presidente da Applic-MS, os motoristas querem a regulamentação municipal, são a favor das regras como efetuar cursos de direção e precisam da lei em vigor na cidade o mais rápido possível. “Nós queremos a assinatura imediata do juiz David de Oliveira Gomes Filho, precisamos e posteriormente vamos buscar uma Audiência Pública para tratar da segurança dos motoristas e passageiros. Necessitamos ter direitos adquiridos, estamos a mercê, virou um caos, e a situação é insuportável”, disse.

Pinheiro adiantou que 234 motoristas são associados a Applic-MS, mas, aproximadamente oito mil pessoas estão cadastradas em aplicativos de transporte como Uber, 99, Urban, VaptVupt , 7AXI, Motora, Rode Ganhe e Chofer, utilizados na capital.

Ele conta que os motoristas estão com medo do crescimento da violência, com a média de dois assaltos por dia. Para ele, os motoristas que não querem a regulamentação são aqueles que utilizam do carro apenas para fazer “bico” e tirar dinheiro extra. Já, os trabalhadores que dependem somente desse meio, estão “penando” pela falta de amparo.

“Nós iremos à Câmara e o objetivo principal é a assinatura desse documento, que é importante para o motorista e para o passageiro”, concluiu.

Em meio a tantas polêmicas, motoristas discordando, decretos suspensos pelo TJ e críticas das próprias empresas donas dos aplicativos é difícil saber o resultado desse impasse.

Entenda

A Justiça suspendeu uma lei municipal que visava regulamentar o funcionamento de aplicativos de mobilidade urbana em Campo Grande, em 2017, e também o decreto municipal 13.562 de 2018. 

Em 2018, a lei federal 13.157, reconheceu a atividade como “transporte remunerado privado de passageiros” e entrou em vigor, restando aos municípios regulamentarem a atividade.

O Poder Executivo elaborou um novo decreto (13.562), mas segundo o juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, havia semelhanças com o documento do ano anterior, que havia sido suspenso. Com isso, ele estendeu a liminar de 2017 ao decreto, e isso culminou em suspensão.

Na época a prefeitura municipal alegou que os dois decretos eram diferentes e que o elaborado em 2018 estava de acordo com a lei federal e que iria recorrer da decisão do TJMS. 

Sesc Novo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Sistema do Detran-MS está fora do ar nesta quarta-feira
Geral
Em entrevista, Longen se diz "a disposição de qualquer controle"
Geral
Maior superlua do ano poderá ser vista esta noite
Geral
UPA Coronel Antonino recebe novas cadeiras e macas
Geral
Catan pede investigação sobre furtos de gado em MS
Geral
Imagens fortes: Mulher perde 80% do lábio inferior após ser mordida em briga
Geral
Loja da capital faz desfile beneficente para ajudar instituto
Política
"Questão caixa 2" é retirado de pacote de Moro, diz Estadão
Geral
FIEMS diz que serviços investigados foram licitados
Cidade
Audiência vai discutir altas taxas em contas de energia expedidas no mês de janeiro

Mais Lidas

Geral
Imagens fortes: Mulher perde 80% do lábio inferior após ser mordida em briga
Polícia
No centro, homem tenta fotografar partes íntimas de mulher
Polícia
Mulher é espancada após negar manter relações sexuais com marido
Polícia
Em briga na cela, presidiário fura olho de outro