Menu
Busca quarta, 27 de maio de 2020
(67) 99647-9098
TJ MS maio20
Geral

Expogrande e grandes shows tornam-se ameaças sanitárias

Shows da exposição e outros, como o de Gusttavo Lima, viram eventos de alto risco

14 março 2020 - 08h30Da redação

Dois grandes eventos, a Expogrande e o show de Gusttavo Lima, que acontece dia 21, tornaram-se ameaças ao esforço de contenção do coronavírus em Campo Grande.

A exposição tem vários shows em sua grade, que já estariam confirmados. Raça Negra, Luan Santana, Marilia Mendonça, por exemplo, com possibilidade real de atraírem mais de 20 mil pessoas.

 A mega aglomeração no Parque de Exposições colocará um grande público colado, lado a lado, e onde será impossível qualquer das restrições de distância acontecer.

Outro espetáculo  de grandes proporções é o show de Gusttavo Lima, marcado pra ocorrer no próximo dia 21, no Morenão, e tem previsão de mais de 30 mil pessoas, a maior parte no gramado do estádio, rompendo todas as normas de segurança, e os protocolos de saúde que estão sendo seguidos.

Ambas as situações são importantes para a indústria de entretenimento, movimentam milhões e dão empregos a centenas de pessoas. Nesse momento, porém, eles têm um efeito colateral difícil de deglutir, o de, na pior das hipóteses, matar pessoas e de contaminar centenas, talvez milhares de cidadãos da cidade de Campo Grande.

O prejuízo humano pode ser incalculável dentro do quadro de expansão geométrica constatado pelo ministro Luiz Henrique Mandetta. O gabinete de crise do governo estadual quer rever a situação e forçar um adiamento desses eventos e de outros menores.

A direção da Acrissul resiste, mas a medida mais drástica é que tornou-se uma questão de saúde pública e não mais política. Outra situação de menor público, mas com razoável concentração de pessoas, como competições esportivas, também tornaram-se situações com elevado grau de complexidade.

Prejuízo – O custo econômico de medidas de contenção do coronavírus é inquestionável. Representará desemprego em vários segmentos, desaquecimento econômico e até mesmo queda de arrecadação de tributos em todas as esferas, federal, estadual e municipal, além de custar muito caro principalmente no tratamento de pessoas já infectadas.

Qualquer medida proibindo ou adiando shows e eventos será dolorosa, mas parece não haver alternativa que o bom senso possa rascunhar.

Emergência – Assessores do governo estadual afirmaram que o governo do Estado e mesmo a prefeitura teriam dificuldades em impedir eventos, “apenas recomendar” é o que pode ser feito, mas, a partir de segunda-feira, o quadro pode mudar.

A exemplo de outros Estados, a decretação de “estado de emergência” será colocada ao governador Reinaldo Azambuja como opção para enfrentar a crise. Isso ampliaria os poderes do governo para tomar medidas mais contundentes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Mandetta entra em “quarentena remunerada” e é proibido de ter cargos privados por 6 meses
Geral
Mega-Sena pode sortear prêmio de R$ 33 milhões nesta quarta-feira
Geral
AO VIVO - José Mauro, da Sesau, presta contas na Câmara
Geral
Com músicos infectados, Zezé e Luciano estão “livres” do coronavírus
Geral
Auxílio: Caixa paga novo lote da 1ª parcela para nascidos em outubro
Geral
Ipê é oficialmente árvore símbolo do Estado
Geral
Morador reclama de vazamento de água no Arnaldo Estevão de Figueiredo
Geral
Calamidade pública poderá ser declarada em mais três cidades de MS
Geral
Senado aprova PL que proíbe corte de água e energia aos finais de semana
Geral
Procon-MS pede explicação ao Consórcio Guaicurus sobre "precariedade" em linhas de ônibus

Mais Lidas

Geral
Mandetta entra em “quarentena remunerada” e é proibido de ter cargos privados por 6 meses
Geral
Mega-Sena pode sortear prêmio de R$ 33 milhões nesta quarta-feira
Polícia
Homem é encontrado morto em fazenda de MS
Polícia
Após perseguição jovem é preso com drogas e diz ser do PCC