Menu
Busca quarta, 23 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS setembro20
Geral

Passagem do cometa Ison vai cobrir Terra de poeira em 2014

12 maio 2013 - 07h24Paul Wiegert

A primeira jornada do cometa Ison pelo Sistema Solar pode formar uma chuva de meteoros bem diferente na sua passagem próxima a Terra. Considerado o cometa do século 21, uma sonda da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) detectou que o Ison, que é maior do que a Austrália, está arremessando cerca de 50,8 mil quilos de poeira por minuto no espaço.

Paul Wiegert, pesquisador da Universidade de Western Ontario, no Canadá, criou um modelo computacional para definir a trajetória do cometa e calculou que essa poeira fina vai atingir a Terra em janeiro do ano que vem.

"Durante vários dias, em especial em 12 de janeiro de 2014, a Terra passará por um fluxo de poeira muito fina produzida pelo cometa Ison em seu caminho para o Sol. E essa chuva de meteoros pode ter propriedades interessantes", avisa o pesquisador de meteoros.

A fina chuva de meteoros vai atingir várias partes do globo terrestre no mesmo instante, prevê modelo de Wiegert, já que sofrerá influência do Sol e da Terra. Como as partículas liberadas pelo cometa são muito pequenas, com diâmetros menores do que um glóbulo vermelho de sangue humano, elas serão empurradas pela pressão dos raios de Sol ao mesmo tempo que serão capturadas pela gravidade terrestre. 

Sem estrelas cadentes
Mas essa chuva de meteoros incomum dificilmente será vista do nosso planeta. Devido ao tamanho, os pequenos grãos do cometa não conseguirão passar pela atmosfera do nosso planeta.  Mesmo se forem arremessados a uma velocidade de 56 km/s, eles devem parar nas camadas superiores sem explodir nem formar estrelas cadentes.

"Então, em vez de queimar e emitir um flash de luz, as partículas vão cair suavemente em direção à Terra", explica Wiegert. Essa queda será tão lenta - pode levar dias, meses e até anos para que ela assente na superfície terrestre - que vai impedir de ser um fenômeno visível no céu do planeta.

O único sinal detectável do rastro de poeira do Ison provavelmente será uma proliferação de nuvens azuis sobre os polos da Terra. Essas "nuvens brilhantes", dizem os astrônomos, poderiam ser ativadas pela poeira cósmica nas altas camadas da atmosfera do mundo.

Via Uol

Rota do Pantanal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Alguém viu o Steferson? Jovem desapareceu no Canguru
Geral
Guarda resgata gambá ferido no cemitério Santo Amaro
Geral
Garras mira em bancas de jogo do bicho da capital
Geral
Pastor Mauro terá cortejo fúnebre e enterro só para a família
Geral
Loubet, Patrícia & Adriana marcam retomada de eventos com público
Geral
Rudel do Detran, diz que novas regras de trânsito "reduzem burocracia"
Geral
Mauro Clementino, pastor da Terceira Batista, morre de coronavírus
Geral
Dupla detalha assassinato de diarista: “Tiramos a pele do rosto com a faca”
Geral
Vídeo - Após protestos, Pedro Juan abrirá fronteira
Geral
Inscrições para residência médica no Hospital Regional já estão abertas

Mais Lidas

Polícia
Dois são presos tentando entrar com drogas em presídio
Polícia
Iagro aprende 120 cabeças de gado e documentação falsa
Polícia
Operação contra o jogo do bicho vaza e é antecipada
Polícia
No Pernambuco, bandido usa nome de campo-granense para comprar celular