Menu
Busca quarta, 29 de janeiro de 2020
(67) 99647-9098
Perkal Topo - janeiro-20
Geral

PMA autua 104 pescadores e apreende 744 quilos de pescado em quatro meses

Polícia também apreendeu diversos barcos, motores de popa e petrechos de pesca

01 julho 2019 - 11h04Rauster Campitelli, com informações da assessoria

Desde a abertura da pesca, há quatro meses, 104 pessoas foram atuadas por ilegalidade, sendo 74 presos por pesca predatória e 30 por praticar pesca sem a licença ambiental, totalizando R$ 151.151 em multas. O balanço das ações foi divulgado hoje (1º) pela PMA (Polícia Militar Ambiental de Mato Grosso do Sul). A PMA também apreendeu 744,5 quilos de pescado com os infratores, além de diversos barcos, motores de popa, petrechos de pesca e veículos.

Ao todo 126 quilos de pescado vivos foram encontrados presos em petrechos ilegais, principalmente redes de pesca, e foram soltos nos rios. Os policiais ainda recolheram 15.410 metros de redes e 25 espinheis com 290 anzóis. A polícia destaca a importância da fiscalização na retirada desses tipos de petrechos (pelo alto poder de captura) e da prisão dos elementos sem que tenham capturado grande quantidade de pescado.

 “O destaque para as apreensões de redes são os lagos das usinas hidrelétricas do rio Paraná, pois o uso desses petrechos é muito comum na região, haja vista que nos lagos, este petrecho é permitido para o pescador profissional, desde que identificado e com malha de tamanho a partir de 140 milímetros. Ocorre que muitos pescadores profissionais armam redes com malha menor à permitida e evidentemente não as identificam. A legislação só permite também no máximo 100 metros de redes armadas, localizadas pelo menos a 150 metros de distância uma da outra, porém, muitas vezes, os pescadores profissionais emendam várias redes excedendo a metragem permitida”, informou a Polícia Militar Ambiental.

Além dos espinheis e redes de pesca, também foram apreendidos e retirados dos rios 648 anzóis de galho, 17 tarrafas e 30 boias. O comando da Polícia Militar Ambiental considera que o trabalho preventivo foi extremamente eficiente, tendo em vista que a presença dos Policiais nos rios evitou a pesca predatória. Além disso, a retirada de petrechos ilegais dos rios, especialmente redes de pesca e espinheis, evita a depredação dos cardumes. Muitos peixes são soltos ainda vivos desses materiais ilegais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
UEMS suspende divulgação do resultado SISU 2020 temporariamente
Geral
Motoristas de aplicativo não precisarão fazer exame toxicológico
Geral
Contribuinte pode ganhar até R$ 50 mil se exigir CPF na nota fiscal
Geral
Azul terá vôo direto para Nova York, após cinco anos de espera
Geral
Curso de formação para aprovados em concurso PM/BM começa em 2 de março
Geral
Banco do Brasil cria contas para doações a vítimas de enchentes
Geral
LinkedIn, Facebook, Instagram e Tinder; entenda como a “modinha” começou
Geral
Prefeitura convoca mais de 200 profissionais concursados
Geral
Assassino de florista permanece na Santa Casa
Geral
Seguro-desemprego é negado a trabalhador que tem MEI ou CNPJ ativo

Mais Lidas

Oportunidade
Quarta-feira começa com 202 vagas de emprego na Funtrab
Oportunidade
JBS abre 150 vagas em Dourados
Esportes
Prefeitura abre seletiva para projeto de ginástica rítmica
Geral
UEMS suspende divulgação do resultado SISU 2020 temporariamente