Menu
Busca segunda, 27 de janeiro de 2020
(67) 99647-9098
Perkal Topo - janeiro-20
Geral

Primeiro medicamento contra leishmaniose em cães no Brasil é aprovado

Milteforan deve ser comercializado a partir de 2017

15 setembro 2016 - 11h49Da redação

O primeiro medicamento para tratamento de leishmaniose em cães no Brasil, chamado de Milteforan, foi aprovado na semana passada pelo Ministério da Agricultura. O órgão prevê que o remédio seja comercializado no país a partir do ano que vem.  A doença é considerada um dos maiores problemas de saúde pública enfrentados em Campo Grande, que, segundo o veterinário André Fonseca, tem um índice de infecção de um em cada dez cães da Capital.

O controle da doença ainda é cercada de polêmicas. Enquanto médicos veterinários defendem tratamento dos animais infectados, órgãos públicos defendem a eutanásia método mais eficaz para a diminuição na proliferação da doença. Em junho deste ano, após uma interpelação da ONG Abrigo dos Bichos, Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF 3)  a nulidade da Portaria interministerial dos ministérios da Saúde e Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Portaria n° 1.426/2008, que proíbe o tratamento de cães com Leishmaniose Visceral Canina por meio de produtos de uso humano. Pela falta de medicamentos veterinários disponíveis para o combate à doença, o tratamento acabava por se tornar ilegal. Na 3º Região, composta por São Paulo e Mato Grosso do Sul, agora o tratamento é permitido também com medicamentos de uso humano.

A partir de 2017, o tratamento será permitido em todo o país através do Milteforan, primeiro medicamento de uso veterinário para tratamento da doença aprovado no país. Ainda assim, em nota técnica emitida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o órgão ressalta que o tratamento de cães com leishmaniose não se configura como medida de saúde pública para controle da doença e que o tratamento "trata-se única e exclusivamente de uma escolha do proprietário do animal, de caráter individual". 

Doença

A leishmaniose é transmitida pelo mosquito-palha, atraído por lugares com matéria orgânica e sujeira e tem hábito noturno. As recomendações para evitar e doença é de manter sempre o quintal e o canil limpos, além de utilizar de uso de repelentes e de lugares telados, evitando assim, a picada do mosquito, tanto em humanos quanto em cães. Nos cães, os sintomas da leishmaniose são: emagrecimento, descamação e queda de pêlo, lesões ao redor dos olhos e lacrimejamento, lesões em pontas de orelhas, focinho e patas, ficar muito quieto (apatia) e crescimento exagerado das unhas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Prefeitura convoca mais de 200 profissionais concursados
Geral
Assassino de florista permanece na Santa Casa
Geral
Seguro-desemprego é negado a trabalhador que tem MEI ou CNPJ ativo
Geral
Saiba como se cadastrar no alerta da Defesa Civil
Geral
Reinaldo cobra forças federais na fronteira
Geral
Dourados ocupa 9º lugar em ranking de carteira assinada em 2019
Geral
Ajude: Criança precisa de doações de sangue para tratamento de quimioterapia
Geral
Astro do basquete, Kobe Bryant e filha morrem em acidente de helicóptero
Geral
Gestão de mídias sociais é a profissão de 2020
Geral
Monitoramento eletrônico de tornozeleira do MS é referência nacional

Mais Lidas

Economia
Longen defende aproximação de MS com os EUA durante reunião com cônsul
Polícia
Casal é executado a tiros dentro de casa na tarde desta segunda-feira
Polícia
Andarilho tenta assaltar mulher no estacionamento do Gugu Lanches
Polícia
Jovem de 19 anos é preso por tráfico de drogas