Menu
Busca domingo, 25 de agosto de 2019
(67) 99647-9098
Internacional

Clima quente, Maduro e Guaidó convocam manifestações

Guaidó quer manifestções sem violência, mas com determinação para mudar crise na Venezuela

23 fevereiro 2019 - 09h50Agência Brasil

O autodeclarado presidente em exercício da Venezuela Juan Guaidó publicou mensagem no Twitter, neste sábado (23), convocando a população para uma mobilização em massa pelas ruas do país para pressionar as Forças Armadas [FANB] a deixar que caminhões com doações de cunho humanitário entrem no país. Está prevista para hoje a entrega de alimentos e medicamentos para a população da Venezuela pelas fronteiras do Brasil e de Colômbia. 

"Vamos em paz, sem violência e com determinação de mudanças para exigir que a ajuda humanitária entre”, publicou Guaidó orientando os manifestantes a vestirem branco e entregarem mensagens a militares em quartéis para apoiarem a entrada da ajuda no país.

Guaidó também advertiu as FANB: "Hoje vocês têm a vida de centenas de milhares de Venezuelanos em suas mãos. Todo o país e o mundo estão com os olhos voltados a vocês. Decidam bem".

Tensão nas fronteiras

As fronteiras do país com Brasil e Colômbia foram fechadas por ordem do presidente Nicolás Maduro. Os apoiadores do presidente chavista também prometem uma “mobilização revolucionária” neste sábado em Caracas, capital da Venezuela, “em rejeição a práticas intervencionistas do governo dos Estados Unidos”, que como o Brasil apoiam Juan Guaidó. Maduro deixou em alerta as Forças Armadas Nacionais Bolivarinas.

Na manhã deste sábado, também pelas redes sociais, a vice-presidente do governo de Maduro comunicou a ordem de fechamento de três pontes que ligam a Venezuela à Colômbia.

O deputado Assembleia Nacional Venezuelana Miguel Pizarro, presidente da comissão especial para a ajuda humanitária, orienta que os manifestantes digam aos militares que o propósito de ajuda é humanitário: “não é para confrontar as Forças Armadas” e que a entrada dos mantimentos “não é uma derrota aos militares, porque eles sofrem o mesmo que nós”.

Ontem, o dia começou tenso e com confrontos entre militares e manifestantes na fronteira do Brasil com a Venezuela. De acordo com parlamentares, duas pessoas morreram e 15 ficaram feridas. Pelo menos sete venezuelanos baleados foram conduzidos para hospitais em Boa Vista, Roraima. As vítimas são indígenas, segundo parlamentares e organizações não governamental.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
Presidente do Conselho Europeu põe em dúvida acordo com Mercosul
Internacional
França se opõe a acordo de exportação UE-Mercosul devido as queimadas na Amazônia
Internacional
Discussões sobre a Bioceânica avançam
Internacional
Reinaldo cede aeroporto de Corumbá para a Bolívia combater incêndio
Internacional
Estados Unidos testam míssil após deixar tratado nuclear
Internacional
Homem bomba mata 63 pessoas em festa de casamento
Internacional
Pouso de emergência deixa ao menos 20 feridos
Internacional
Estudantes paraguaios pedem julgamento de Mario Abdo
Internacional
Paraguai quer construir ferrovia paralela à Rota Bioceânica
Internacional
Argentinos vão às urnas em eleições primárias no domingo

Mais Lidas

Geral
Mulher tem dedo amputado enquanto fazia compras
Fim de Semana
Esquadrilha da Fumaça se apresenta em Campo Grande neste domingo
Polícia
Vídeo - Peão morre após ser pisoteado por touro em rodeio
Esportes
Vídeo- Após capotar no Rally Sertões, Caio Castro tranquiliza fãs