Menu
Busca terça, 27 de julho de 2021
(67) 99647-9098
Senai - EAD_senai_graduação
Internacional

Clima quente, Maduro e Guaidó convocam manifestações

Guaidó quer manifestções sem violência, mas com determinação para mudar crise na Venezuela

23 fevereiro 2019 - 09h50Agência Brasil

O autodeclarado presidente em exercício da Venezuela Juan Guaidó publicou mensagem no Twitter, neste sábado (23), convocando a população para uma mobilização em massa pelas ruas do país para pressionar as Forças Armadas [FANB] a deixar que caminhões com doações de cunho humanitário entrem no país. Está prevista para hoje a entrega de alimentos e medicamentos para a população da Venezuela pelas fronteiras do Brasil e de Colômbia. 

"Vamos em paz, sem violência e com determinação de mudanças para exigir que a ajuda humanitária entre”, publicou Guaidó orientando os manifestantes a vestirem branco e entregarem mensagens a militares em quartéis para apoiarem a entrada da ajuda no país.

Guaidó também advertiu as FANB: "Hoje vocês têm a vida de centenas de milhares de Venezuelanos em suas mãos. Todo o país e o mundo estão com os olhos voltados a vocês. Decidam bem".

Tensão nas fronteiras

As fronteiras do país com Brasil e Colômbia foram fechadas por ordem do presidente Nicolás Maduro. Os apoiadores do presidente chavista também prometem uma “mobilização revolucionária” neste sábado em Caracas, capital da Venezuela, “em rejeição a práticas intervencionistas do governo dos Estados Unidos”, que como o Brasil apoiam Juan Guaidó. Maduro deixou em alerta as Forças Armadas Nacionais Bolivarinas.

Na manhã deste sábado, também pelas redes sociais, a vice-presidente do governo de Maduro comunicou a ordem de fechamento de três pontes que ligam a Venezuela à Colômbia.

O deputado Assembleia Nacional Venezuelana Miguel Pizarro, presidente da comissão especial para a ajuda humanitária, orienta que os manifestantes digam aos militares que o propósito de ajuda é humanitário: “não é para confrontar as Forças Armadas” e que a entrada dos mantimentos “não é uma derrota aos militares, porque eles sofrem o mesmo que nós”.

Ontem, o dia começou tenso e com confrontos entre militares e manifestantes na fronteira do Brasil com a Venezuela. De acordo com parlamentares, duas pessoas morreram e 15 ficaram feridas. Pelo menos sete venezuelanos baleados foram conduzidos para hospitais em Boa Vista, Roraima. As vítimas são indígenas, segundo parlamentares e organizações não governamental.

Vai di Vinho

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
Inglaterra decreta "fim da pandemia' e tem aumento de variante Delta
Internacional
Vídeo: Homem bate com chinelo em casal que fazia sexo no meio da praia
Internacional
China apresenta trem que chega a 600 km/h, considerado o mais rápido do mundo
Internacional
Vídeo: Proibida de usar vestido de noiva por ser negra, idosa realiza sonho aos 94 anos
Internacional
Diretor da OMS alerta para uma nova onda mundial da Covid
Internacional
Vídeo: Bomba explode em mercado deixando 25 mortos
Internacional
Morador encontra bolas de boliche da década de 50 enterradas no quintal
Internacional
Influenciadora de 23 anos morre após cirurgia para reduzir suor
Internacional
Influencer morre aos 32 anos tentando tirar selfie em cachoeira
Internacional
Calor "sem precedentes" cozinha animais marinhos vivos no Canadá

Mais Lidas

Polícia
Homem enforca familiar após piada com derrota do São Paulo para o Flamengo
Polícia
Nem após cometer suicídio jovem escapa de assalto no Jardim Noroeste
Cidade
Foi selecionado? Prefeitura convoca aprovados em dois processos
Geral
Homem fuma maconha, escala montanha e cai de altura de 12 metros; veja vídeo