Menu
Menu
Busca quarta, 24 de abril de 2024
Internacional

Canção israelense abre polêmica em festival internacional

Inscrita no Eurovision, "October Rain" de Eden Golan teria referências ao ataque terrorista do Hamas, e pode ser excluída. Assista

23 fevereiro 2024 - 08h22Sarah Chaves, com informações do The Times of Israel e Reuters    atualizado em 23/02/2024 às 09h48

Competição internacional de canções organizada anualmente pela União Europeia de Radiodifusão (UER), o Festival Eurovision de Canção examina a canditata israelense depois que a letra da música vazou para a mídia e pareceu fazer referência ao ataque do Hamas em 7 de outubro, que desencadeou a guerra em Gaza.

A candidata de Israel, "October Rain", é uma balada cantada pela solista Eden Golan. O Eurovision, que este ano será realizado de 7 a 11 de maio na cidade sueca de Malmo, se autodenomina um evento apolítico e pode desqualificar os participantes que violarem essa regra. O concurso anual do Eurovision foi vencido quatro vezes por Israel.

A letra é, em sua maioria, em inglês, com algumas linhas em hebracio que dizem: "There's no air left to breathe" (Não há mais ar para respirar) e "They were all good children, each one of them" (Eram todos bons filhos, cada um deles) - aparentes alusões às pessoas que se esconderam em abrigos enquanto atiradores do Hamas realizavam uma onda de assassinatos e sequestros em um festival de música ao ar livre e em outros locais.

A música também contém uma referência a "flores" que, segundo o Hayom, é um código militar para vítimas de guerra. Uma fonte da emissora nacional Kan, que patrocina a participação israelense, confirmou à Reuters que a letra que vazou estava correta.

A disputa sobre a canção ocorre em meio a meses de apelos para que Israel seja impedido de participar da disputa, em razão das críticas internacionais à sua guerra contra o Hamas em Gaza. A EBU, no entanto, rejeitou repetidamente quaisquer apelos deste tipo e sustentou que Israel será autorizado a participar.

Em um comunicado, a União Europeia de Radiodifusão (EBU), que organiza o Eurovision, disse que está "no processo de examinar as letras, um processo que é confidencial entre a EBU e a emissora até que uma decisão final seja tomada".

"Se uma música for considerada inaceitável por qualquer motivo, as emissoras terão a oportunidade de enviar uma nova música ou uma nova letra, de acordo com as regras do concurso", acrescentou a EBU.

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Internacional
Brasil e mais 16 países assinam declaração para libertar reféns do Hamas
Manifestações pró-Palestina
Internacional
Universidades dos EUA são palco de manifestações pró-Palestina
Câmara dos EUA aprova lei que pode banir o TikTok no país
Internacional
Câmara dos EUA aprova lei que pode banir o TikTok no país
Aharon Haliva
Internacional
Após ataque do Hamas em 2023, chefe do serviço secreto israelense pede demissão
Faixa de Gaza
Internacional
Presidente da Turquia discute cessar-fogo com chefe do Hamas
Juan Pedro Aleart
Internacional
Jornalista revela em rede nacional ter sido abusado sexualmente pelo pai
Dia da Maconha
Internacional
EUA comemora o Dia da Maconha
Homem põe fogo no próprio corpo em frente à tribunal onde Trump é julgado nos EUA
Internacional
Homem põe fogo no próprio corpo em frente à tribunal onde Trump é julgado nos EUA
Argentina deseja ser parceira da OTAN
Internacional
Argentina envia pedido para se tornar parceira da OTAN
Pedaço da Estação Espacial cai em casa nos EUA
Internacional
Pedaço da Estação Espacial cai em casa nos EUA

Mais Lidas

AGORA: Capitão do Batalhão de Choque morre na Capital
Polícia
AGORA: Capitão do Batalhão de Choque morre na Capital
Capitão Leonardo Mense partiu durante a noite de sábado (21)
Polícia
'Imenso legado': Capitão Mense é homenageado por autoridades e instituições de MS
 Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) -
Justiça
MPMS investiga fraude em concurso da prefeitura de Sonora e recomenda suspensão
"Eu não tenho dúvida que o Beto Pereira terá capacidade, se eleito for, de fazer as grandes transformações e reformas que Campo Grande precisa", enfatiza ex-governador.
Política
JD1TV: Reinaldo diz que problemas locais "pesarão mais" que Bolsonaro