Menu
Busca sexta, 30 de outubro de 2020
(67) 99647-9098
Governo/Dengue
Justiça

Conselho Federal da OAB deve questionar associação de direito médico que oferece serviços jurídicos

Em liminar expedida em 2018 a associação havia sido proibida de oferecer os serviços jurídicos

29 março 2019 - 10h15Da redação

Uma associação de direito médico que prometia blindagem jurídica a profissionais de medicina vem sendo alvo de ação da Ordem dos Advogados seccional São Paulo (OAB-SP), para que seja proibida de oferecer serviços jurídicos a seus associados. Em nova decisão publicada  nesta semana, a 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) acolheu o agravo e  entendeu que apenas o Conselho Federal da OAB tem legitimidade para ajuizar a ação civil pública questionando atuação de associação nacional.

A ação, movida pela OAB-SP afirma que a associação extrapolou suas funções ao prestar assistência jurídica gratuita, sem ser inscrita ou registrada na OAB. Em liminar de agosto de 2018, a associação foi proibida de oferecer serviços jurídicos. Segundo a Ordem, a prática configura exercício ilegal da advocacia. A entidade afirma que a associação pode tomar frente dos problemas de uma classe profissional, mas isso não a autoriza a prestar serviços jurídicos exclusivos a cada associado.

Em defesa ainda em 2018 a Associação disse que atua como uma seguradora que comercializa um convênio jurídico aos associados, que ao contribuir com determinado valor mensal tem garantido a cobertura de pagamento de custas, honorários advocatícios, honorários periciais e condenações judiciais fixados até R$ 500 mil.

Nesta nova decisão, a relatora do agravo, desembargadora Cecília Marcondes, considerou que a associação tem atuação em âmbito nacional, "o que leva à inexorável conclusão de que apenas o Conselho Federal da OAB, por ser seu órgão maior, teria legitimidade para ajuizar a ação civil pública".

A magistrada apontou que a OAB-SP só pode propor esse tipo de ação em casos que envolvam danos restritos ao estado de São Paulo. No caso, disse, a competência é do Conselho Federal da OAB também para evitar o aumento de ações idênticas.

Agora cabe ao Conselho Federal da OAB questionar atuação da associação nacional e emitir a decisão final.

 

CertFica

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Pandemia mostrou que o Judiciário pode mudar, diz Cármen Lúcia
Justiça
Justiça mantém indeferido, candidato a reeleição em Aral Moreira
Justiça
Cinco cidades de MS receberão apoio das Forças Armadas
Justiça
TJ recusa pedido do Governo de MS e determina que DGPC promova 12 delegados
Justiça
Direito de resposta concedido a Marquinhos Trad pela justiça eleitoral
Justiça considerou ofensiva entrevista de Harfouche ao JD1 contra Marquinhos
Justiça
Acordos em precatórios resultam mais de R$ 20 milhões em economia para MS
Justiça
Andar de ônibus deve ficar mais caro nos próximos dias
Justiça
Funcionária de conveniência é multada em R$ 3 mil por vender vodka a adolescente
Justiça
Fachin julgará recurso de Reinaldo no STF
Justiça
Candidato do PSL terá que pagar multa e retirar vídeo do ar

Mais Lidas

Política
"Ele fechou a mão duas vezes para me bater", diz candidata sobre Kemp
Polícia
'Benzedeira' faz extorsão e ameaça vítima de morte dizendo ser do PCC
Polícia
PRF intensifica fiscalização nas BR's de MS no feriadão de Finados
Economia
Dólar perde força ao longo do dia, mas fecha em alta novamente