Menu
Busca segunda, 17 de fevereiro de 2020
(67) 99647-9098
tj ms topo
Justiça

Em posse concorrida, Paschoal Leandro assume o TJ

Participaram da posse os ministros Reynaldo Soares (STJ) e Tarcisio Vieira (TSE)

30 janeiro 2019 - 19h47Da redação

Ao tomar posse como presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS), nesta quarta-feira (30), o desembargador Paschoal Carmello Leandro, afirmou que assume o cargo com o compromisso de preservar a ética, a transparência, a efetividade da prestação jurisdicional e, sobretudo, com responsabilidade ambiental e socioeconômica. 

Classificando como brilhantes, Paschoal Carmello disse que acompanhou as administrações anteriores e com a ajuda dos juízes que estarão com ele na presidência, “espera corresponder à confiança que lhe foi depositada”. “Contarei com a preciosa participação dos colegas desembargadores Carlos Eduardo Contar (vice-presidente) e Sérgio Martins Fernandes (corregedor-geral de Justiça), magistrados íntegros, inteligentes e dedicados”, disse.

Em seu discurso de posse, Paschoal Carmello reforçou que o Poder Judiciário precisa de mudanças. “Há flagrante obsolescência da administração burocrática/gerencial, modelo que já não encontra mais espaço no atual Estado Democrático de Direito”, disse. Para o desembargador, o momento é da administração social, de caráter dialógico/democrático e é necessário traçar uma política de governança pública alinhada aos demais poderes.

O novo presidente do TJ-MS defende uma gestão transparente, com atuação mais colaborativa entre os demais órgãos públicos e a própria sociedade. “São parcerias que permitem uma série de ganhos institucionais, principalmente no que tange a melhor alocação de recursos públicos”, afirmou. Paschoal Carmello falou também em resgatar a confiança da sociedade na instituição e modernização, investindo em práticas voltadas à cultura tecnológica organizacional.

O presidente da OAB/MS, Mansour Elias Karmouche, agradeceu ao desembargador Divoncir Schreiner Maran – a quem chamou de homem cuja serenidade, inteligência e capacidade jurídica, conduziu o Poder Judiciários nos dois últimos anos – pelo diálogo e coexistência harmônica com as instituições. Ele saudou os novos integrantes da administração do TJMS afirmando que saberão enfrentar os desafios, a nova realidade com suas demandas e suas complexidades.

O governador Reinaldo Azambuja usou a palavra para reconhecer que a magistratura de MS tem dado inequívocas demonstrações de preciosa solidariedade ao governo e às causas públicas e que como resultado dessa parceria MS, ao contrário de outros estados, manteve-se em pé em meio a tempestade provocada pelo desarranjo econômico e pela crise de representação política sem precedentes na história do Brasil.

“Reitero meu desejo pessoal de renovada disposição para o trabalho conjunto. Precisamos somar forças, recursos, inteligência e trabalho para superar distorções históricas, que ainda travam o crescimento do país que queremos e podemos ser. Contem conosco na defesa intransigente dos interesses e dos sonhos do nosso povo”, concluiu o governador.

Compuseram o plenário especial o juiz Eduardo Eugenio Siravegna Jr, presidente da Associação dos Magistrados de MS (Amamsul); o general Lourival Carvalho Silva, do Comando Militar do Oeste (CMO); o brigadeiro Augusto César Abreu dos Santos, da Ala 5 da Aeronáutica; o arcebispo Dom Dimas Lara Barbosa; o desembargador Fávio Alberto Cabañas Gossen, representando a Suprema Corte do Paraguai; o desembargador Francisco das Chagas Lima Filho, do TRT da 24ª Região; o conselheiro Iran Coelho das Neves, presidente do TCE-MS; o desembargador Carlos Eduardo Padin, presidente do TRE-SP; desembargador Pedro Ranzi (TJ-AC), o desembargador Élcio S. Mendes Jr, vice-presidente do TRE-AC e ouvidor do TJ-AC; os juízes Fernando Ganem (TJ-PR); Patrícia Szporer (TRE-BA) e Cícero Alves da Silva (TJ-AL).

Participaram também da solenidade magistrados aposentados, juízes da capital e do interior, os ministros Reynaldo Soares da Fonseca (STJ) e Tarcisio Vieira de Carvalho Neto (TSE), o defensor Público Geral, Luciano Montali; o presidente da AL-MS, deputado Junior Mochi; o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, juiz Jayme Martins, e o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Vítima de atentado hoje, Trutis tem trajetória de encrencas
Justiça
Testemunhas de ação trabalhista são presas após mentir em juízo
Justiça
Justiça nega indenização de mais de R$ 500 mil por suicídio de detento
Justiça
Em disputa por equiparação, CNJ dá vitória ao TJ
Justiça
MP quer suspender convocação de PM's e Bombeiros, aprovados em concurso
Justiça
Incêndio no Ninho do Urubu faz um ano
Justiça
Justiça manda Comper pagar R$ 41,2 mil a cliente assaltada no estacionamento
Justiça
Pai que matou filho afogado, já tinha tentado antes
Justiça
Justiça determina prisão preventiva de homem acusado de estuprar enteada
Justiça
Com laudo médico a “distância", defesa quer soltar Name

Mais Lidas

Geral
“Queremos aumentar o consumo de álcool no MS”, afirma Reinaldo
Esportes
Grandes eventos esportivos movimentarão a capital em 2020
Geral
Jovem sai de casa e não dá notícias desde sábado
Internacional
Aviões retiram americanos de quarentena em navio