Menu
Busca quinta, 02 de fevereiro de 2023
(67) 99647-9098
Justiça

Justiça absolve Giroto de desvios na MS-184

Além do ex-secretário de obras, mais cinco pessoas foram inocentadas

27 abril 2022 - 14h23Taynara Menezes

O juiz Roberto Ferreira Filho, da 1° Vara Criminal do Fórum Cível de Campo Grande, absolveu das denúncias imputações dos crimes de peculato e falsidade ideológica o ex-deputado federal Edson Giroto.

A denúncia feita pelo Ministério Publico Estadual alegava que Giroto tirava vantagem de obras, envolvendo o valor de mais de R$ 6 milhões na rodovia MS-184, com extensão de 50 km, entre o Buraco das Piranhas e a Curva do Leque, no município de Corumbá/MS e falsidade ideológica por atestar de forma fraudulenta a execução integral dos serviços na MS-184.

Em entrevista ao JD1 Notícias, Giroto explicou que o processo foi uma injustiça contra sua integridade como politico e pessoa. "Desde que as denúncias foram acatadas pelo juiz começamos um longo período de tentar provar nossa inocência. Durante esse tempo eu tive provas destruídas que atrapalharam o processo, porque eles sabiam que a denuncia se tratava de questão politica" afirmou.

“Agradecido”, o deputado destacou a importância da imparcialidade dentro de um processo como este e como tem sido sua carreira após todo o ocorrido e prisão.

"Graças a Deus o dr. Roberto usou a imparcialidade e fez o julgamento em cima das provas que o processo pode oferecer e chegando a essa conclusão, foi uma alegria ter um resultado desse, porém tem outros processos exatamente iguais a esse”.

“Hoje eu ainda convivo com o sofrimento e a angústia pelo tanto que me dediquei ao estado e depois acabar preso por um ofício, onde as autoridades não tiveram  o mínimo de respeito, de fazer diligências necessárias, simplesmente me botaram na cadeia", concluiu.

Na decisão assinada pelo Juiz Roberto Ferreira, ele afirma que não há provas suficientes para acusar Giroto, e outras cinco pessoas, portanto, conclui que é improcedente a pretensão acusatória. Além disso, diante da absolvição, o ex-secretário fica isento do pagamento das custas do processo.

“Destarte, em face da fragilidade das provas produzidas em desfavor do corréu Edson [Giroto] presente pela absolvição quanto aos delitos de peculato (nos termos do art. 386, VII do CPP) e falsidade (art. 386, III e VII do CPP). Isto Posto, e mais o que dos autos consta, é a presente para julgar improcedente a pretensão acusatória estatal, para o fito de ABSOLVER os corréus Edson Giroto, Fernando Cremonesi Ferreira, Luiz Mário Anache, Maria Wilma Casanova Rosa, Maxwell Thomé Gomez e Wilson Roberto Mariano de Oliveira, já qualificado à fl. 1/2, das imputações dos crimes de peculato e falsidade ideológica que lhes foram formuladas na denúncia”, diz a sentença.

Gov Dengue - Jan23 Square

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
TCU pede informações para investigar causas da crise dos Yanomami
Justiça
Justiça acata pedido e provas de investigação das Americanas se tornam sigilosas
Justiça
Justiça determina leilão de minério extraído ilegalmente em terras Yanomami
Justiça
Trio de advogados pede prisão preventiva da suspeita de matar gato a tijoladas
Justiça
MPF vai instaurar inquérito para apurar omissão na crise Yanomami
Justiça
PGR denuncia mais 225 por atos terroristas em Brasília
Justiça
Justiça bloqueia os bens de mais 40 envolvidos nos atos de 8 de janeiro
Justiça
Alexandre de Moraes mantém posse de deputados eleitos
Justiça
Alexandre de Moraes envia à Procuradoria pedido de suspensão de posse deputados de MS
Justiça
STF nega habeas corpus a Iran Coelho, afastado do TCE-MS

Mais Lidas

Cidade
'Sorrisão doce e largo', amigas lamentam morte de Ana Karolina em acidente
Polícia
JD1TV: Recém-nascido é abandonado em caixa no Aero Rancho
Polícia
Motociclista colide em carreta e morre em Campo Grande
Polícia
"Heroizinho", bombeiros se comovem em resgate de recém-nascido