Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Governo dengue 02 - Atitude
Justiça

Justiça obriga empresa a pagar r$ 2 mil à aluno que não recebeu aulas do curso

Desembargador reafirmou que a empresa responde pela reparação dos danos aos consumidores por falhas nos serviços prestados

30 maio 2020 - 17h56Sarah Chaves, com informações da assessoria

Um estudante foi indenizado em R$ 2 mil, por decisão da  2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul, que acatou o recurso e fará escola de cursos preparatótios pagar por não dar todas as aulas ofertadas para Concurso Online.

A empresa alega que não ocorreu propaganda enganosa porque o curso adquirido pelo cliente foi disponibilizado antes de ele submeter-se à prova do concurso e que o conteúdo era atualizado e todo o programa foi disponibilizado em tempo hábil para o estudo.

Ainda segundo a empresa , a alegação de dano moral foi baseada no fato de o aluno não teve as aulas na data disponibilizada para realizar o concurso, e contrapõe que o concurseiro alcançou sim sucesso no concurso, de forma que não ocorreu prejuízo.

Para o relator do recurso, desembargador Julizar Barbosa Trindade, neste caso se aplica a responsabilidade contratual objetiva, nos termos da Súmula 479 do STJ e do art. 14 do Código de Defesa do Consumidor, de forma que a empresa responde, independentemente de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por falhas nos serviços prestados.

“Nota-se que restou provado, conforme documentos juntados, que houve falha na disponibilização do curso preparatório, porque independentemente de ter faltado uma ou duas matérias, a verdade é que não houve a liberação de todas as aulas contratadas”, lembrou o relator.

Ainda segundo o magistrado, o fato da aprovação ou não no concurso não tem nexo de causalidade com a falta do envio do material, pois, se fosse assim, os cursos preparatórios de concurso responderiam por danos morais para todos aqueles que tenham cursado suas aulas e sido reprovados nos concursos.

A decisão foi unânime e realizada pelos desembargadores da 2ª Câmara Cível do TJMS, em sessão permanente e virtual.

PMCG Refis

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Estácio pagará R$ 194 mil por contratos abusivos e cobranças indevidas
Justiça
Estado seguirá TAC que disciplina licitações de informática
Justiça
TJ faz alerta sobre pandemia em MS
Justiça
TJMS diz que é inconstitucional nome e atribuição de polícia a Guarda da capital
Justiça
Hospital proíbe acompanhantes durante parto, mas Defensoria recorre e reestabelece o direito
Justiça
Aposentadoria computa tempo de trabalho infantil
Justiça
MP "vai pra cima" da Energisa contra liminar que suspendeu perícia
Justiça
TJ libera 324 milhões durante pandemia e ajuda economia de MS
Justiça
Justiça concede foro especial a Flávio Bolsonaro no caso das “rachadinhas”
Justiça
Justiça proibe tios de visitar sobrinho durante a pandemia

Mais Lidas

Polícia
Casal de adolescentes é acusado por furto de notebooks, videogames e veículos
Polícia
Foragido invade casa da mãe e a ameça de morte para conseguir dinheiro
Saúde
Frigorífico interrompe atividades para frear surto de coronavírus em Juti
Polícia
Idoso cai do 8º andar, sobrevive e está em observação na Santa Casa