Menu
Busca terça, 11 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Governo 02
Justiça

OAB critica “fuga” do MPF de Ponta Porã

Desde o dia 20 de dezembro, a cidade está sem procuradores

10 janeiro 2020 - 18h51Joilson Francelino

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) se manifestou contrária ao deslocamento da sede do Ministério Público Federal (MPF) de Ponta Porã, para Dourados. Os procuradores, além dos servidores, deixaram a cidade que faz fronteira com o Paraguai desde o último dia 20 de dezembro alegando falta de segurança.

Em entrevista ao JD1 Notícias, o Conselheiro Federal da OAB na cidade fronteiriça, Luiz Renê Gonçalves do Amaral, afirma que não há conhecimento de nenhum risco de segurança excepcional para os membros do MPF ou deficiência de estrutura física que impeça êxito no exercício de suas funções.

Para o conselheiro, a decisão da saída de Ponta Porã vai na contramão do combate à macrocriminalidade que assola as regiões de fronteira em geral. “O combate parte da firme e atuante presença do Estado. Agora, quando um órgão importante como o MPF sai de uma região de fronteira seca, o que passa é uma imagem de abandono, despreocupação e completo descaso”, disse.

A ausência do MPF na cidade, segundo o conselheiro, “criará inúmeros obstáculos no processo”. “Temos deficiência de internet, de estrutura e esse é o grande perigo que temos em Ponta Porã. Agora, a audiência com os três procuradores deverão ser feitas por videoconferência”, lamentou.

A OAB, por meio dos seus representantes, convocou reunião com o prefeito de Ponta Porã, Hélio Peluffo Filho, para buscar meios de equacionar problema de estrutura. O conselheiro contou que Peluffo se dispôs a destinar recursos para a locação de um prédio mais distante da linha de fronteira, para solucionar o “perigo” sustentado pelo MPF, cuja sede fica a 350 metros do Paraguai.

Luiz Amaral disse que há um recurso no Conselho Nacional do Ministério Público para reverter a situação, além disso, a OAB tentará, junto aos parlamentares por Mato Grosso do Sul, em Brasília e ao Governo do Estado, uma intervenção junto ao Ministério da Justiça.

Senar - agosto2020

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Paraguai não acha provas contra Ronaldinho e ex-jogador pode ser inocentado
Justiça
“Se não contermos a pandemia, colapso na Saúde é invitável”, diz defensor-geral de MS
Justiça
AO VIVO: Audiência de “fechamento” termina sem acordo
Justiça
AO VIVO: Audiência do “fechamento”, o que pensam as partes?
Justiça
Juiz barra presença de vereador em reunião de conciliação
Justiça
Indústria terá assento em audiência amanhã sobre “fechamento” da capital
Justiça
Justiça: Drogasil terá que indenizar cliente por assédio de atendente
Justiça
Caso Prior: Delegada encerra inquérito de suposto estupro
Justiça
Suspeito de ajudar milícia, delegado Obara é solto pela Justiça
Justiça
Justiça quer diálogo antes de decidir sobre “fechamento”

Mais Lidas

Política
Vereadores da capital votam cinco Projetos nessa terça
Política
Coronel David solicita testes em massa à agentes da Segurança Pública
Política
Dourados tem nova troca de secretário de Saúde
Política
Vice-prefeita de Inocência morre vítima do coronavírus