Menu
Busca quinta, 14 de novembro de 2019
(67) 99647-9098
Governo - Festival America do Sul
Justiça

TJ manda destravar promoção de procuradores

Argumento do estado era limite prudencial de gastos com pessoal

05 agosto 2019 - 17h51Joilson Francelino

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) reconheceu nesta segunda-feira (5) a obrigatoriedade de promoção por merecimento aos procuradores do Estado, Rafael Sanson e Ludimila Santos.

A decisão unânime da 1º Seção Cível derruba o argumento do Governo do Estado de não publicar a as promoções por atingir o limite prudencial de gastos com pessoal, previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Os procuradores então impetraram mandado de segurança entendendo que a não publicação dos atos de promoção era ilegal, já que os dois atendiam a todos os requisitos necessários.

Na defesa dos procuradores, os advogados Daniel Castro e Thiago Grilo sustentaram que “há diversos julgados reconhecendo que a LRF não serve de fundamento para afastar o direito de os servidores perceberem legitimamente promoções asseguradas por lei”.

A decisão, segundo os advogados, serve de importante precedente para outras carreiras. A promoção no qual os procuradores tinham direito é interna.

Athus Ingles

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Denúncias anônimas podem estabelecer procedimentos administrativos no MP
Justiça
STF suspende uso da Taxa Referencial
Justiça
STJ confirma decisão do TJ-MS, em ação de 39 anos
Justiça
Desembargador Ruy Celso mantém milicianos presos
Justiça
Crianças terão espaço especial para testemunhar em tribunais
Justiça
Slimes com bórax é proibido no MS
Justiça
Defesa quer que Name Filho volte para a capital
Justiça
MPMS denuncia suspeitos de assassinar servidora com barra de ferro
Justiça
Em nota, Odilon diz que TRF-3 está “apenas verificando a regularidade”
Justiça
CCJ aprova PEC que torna feminicídio crime imprescritível

Mais Lidas

Polícia
Corpo cheio de fezes é encontrado em casa abandonada
Polícia
Capataz mata gerente durante briga em fazenda
Justiça
Denúncias anônimas podem estabelecer procedimentos administrativos no MP
Brasil
Doença de filho de Leonardo é incurável e causa dores intensas