Menu
Busca domingo, 22 de setembro de 2019
(67) 99647-9098
Governo Segurança
Justiça

TJ-MS debate nova tabela de emolumentos

Audiência nesta manhã reuniu representantes de diversos setores

09 maio 2019 - 11h55Rayani Santa Cruz e Joilson Francelino

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (9), o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS), registrou a presença de dezenas de representantes de serviços extrajudiciais do estado.

A discussão em torno de uma nova fixação de preço e diminuição das tabelas de emolumentos dos cartórios permaneceu por algumas horas e estudos diversos foram apresentados pelas associações, Anoreg, Institutos e Colégio Notarial do Brasil. Todos eles são contra a diminuição da tabela e pedem análises profundas e outras soluções. O desembargador Sérgio Fernandes Martins presidiu a audiência.

Naime Sales Fernando Torres do IRTDPJ-MS, disse que os cartórios  (serventias) são concessões de funções públicas de caráter privado e por isso um impacto negativo é previsto se as taxas mudarem bruscamente.  "Nós garantimos a segurança dos serviços, é muito mais do que bater carimbos. Quando há prejuízos nós arcamos e tudo isso deve ser levado em conta ao tabelar o valor do Emolumento".

Marco Aurélio Ribeiro do Instituto de Registro de Imóveis, citou que  diversos serviços gratuitos são feitos e não existe o ressarcimento por parte do estado. Para ele cabe a União regulamentar e o estado estabelecer uma cobrança justa.

Leandro Augusto Neves Corrêa representante do Instituto de Protestos de Títulos- MS, argumentou sobre o princípio de confiança entre as serventias e o estado estabelecido por meio de concurso. "Nós fizemos concurso e trouxemos nossas famílias. Sabemos da crise, mas fizemos grandes investimentos, por exemplo, o tabelionato de protestos está completamente digital".

Elder Gomes Dutra vice-presidente do Colégio Notarial do Brasil-MS, explicou que cada estado tem tabela própria levando em consideração questões econômicas e especificidades de cada região. Para ele, todos os setores necessitam de Emolumentos e a possibilidade de fixação de preço pode ser feita após estudos, respeitando a Constituição e a Lei Tributária.

Atualmente MS conta com 24 faixas de preço. Uma das propostas apresentada até o momento prevê 56 faixas.

A Associação dos Registradores Civis de MS, afirmou que no caso deles grande parte dos serviços são gratuitos, e sobra-se 32% para a despesa das serventias e lucro. A entidade é contra a redução e diz que haverá uma debandada de profissionais caso seja feita.

O desembargador Sérgio Fernandes Martins comentou que a audiência foi válida e até o segundo semestre o assunto deve ser finalizado e resolvido. "A corregedoria está elaborando um projeto de renda mínima e ressarcimento das serventias. Isso está em ideia inicial e necessita de ajustes. Estamos com muita responsabilidade, cuidado para conduzir a questão da tabela em MS. Outra questão é em relação a recondução de concursos para suprir serventias que estão vagas. Esperamos que essas três questões  estejam solucionadas até o segundo semestre".

Para ele a reunião cumpriu o objetivo e as manifestações serão levadas em conta na proposta do projeto de lei. Não haverá comissão externa para desenvolver o projeto, pois a competência é apenas do TJ. Após pronta a proposta do TJ deve ser enviada a Assembleia para discussão e votação, se aprovada segue para sanção do governo.

 

Toka do Jacare - perkal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Por unanimidade, TSE julga improcedente ação de Bolsonaro contra Haddad
Justiça
Sanesul já pode renovar concessão em Dourados
Justiça
“Desvios foram praticados por ex-diretor”, diz Odilon em nota
Justiça
Odilon alegou aposentadoria para evitar investigação no TRF-3
Justiça
Justiça aprova norma de viagens nacionais de crianças e adolescentes
Justiça
Decisão polêmica atinge Sanesul em Dourados
Justiça
Lei criada por Kemp prevê punição a atos de discriminação racial no MS
Justiça
Audiências foram determinadas pela PF dia 13 de agosto; conheça a lista
Justiça
Supremo decide manter prisão de Giroto e de seu cunhado
Justiça
Caso Danúbio Azul – Claudinei, comparsa de Nando, vai a júri popular pela morte de Malu

Mais Lidas

Política
"Devem investigar", diz Reinaldo sobre filho
Polícia
Homem é executado em frente à casa de namorada
Brasil
PM é baleado com tiro de fuzil na cabeça
Polícia
Menina de 8 anos é morta com tiro nas costas vítima de bala perdida