Menu
Busca terça, 10 de dezembro de 2019
(67) 99647-9098
TJMS Dezembro-19
Polícia

Acusado de tentativa de feminicídio é preso em Dourados

Ele é acusado de ocultar corpo de cunhada e esfaquear esposa no Mato Grosso

23 novembro 2018 - 10h06Da redação

Hugleice da Silva, 35 anos, que esfaqueou a mulher em Rondonópolis (MT), e era considerado foragido foi preso  pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Dourados na noite de quinta-feira (22). Ele que já responde processo por ocultação de cadáver e aborto da cunhada, tentou matar a mulher Mayara Barbosa,  29 anos, com golpes de faca no último domingo (18).

Era por volta das 18h30 quando o suspeito trafegava com um veículo Fiat Pálio pela BR-163, em Dourados. Ele foi abordado pela PRF e durante as verificações foi constatado o mandado de prisão expedido pela 1ª Vara da Família e Sucessões de Rondonópolis por tentativa de feminicídio contra a esposa. Hugleice foi preso e encaminhado ao 1º Distrito Policial onde permanece preso. Ao que tudo indica, ele estava escondido na casa de parentes na cidade.

Em entrevista ao JD1 Notícias ao início da semana, o advogado José Roberto da Rosa, disse que Hugleice iria se apresentar à delegacia de polícia. Segundo ele, o motivo da tentativa de homicídio seria o fato de Hugleice ter visto mensagens amorosas de Mayara enviadas a outro homem (possível amante). "O que culminou com o golpe de faca foi por conta de uma discussão que eles tiveram, devido ele ter localizado no aparelho celular, mensagens trocadas dela com um possível amante. Agora, eu não posso afirmar o teor dessas mensagens porque eu ainda não tive acesso a isso, o que ele me informou é que todo o conteúdo está com ele" explicou.

Caso Marielly

Hugleice é réu no processo que investiga aborto que terminou na morte da cunhada dele Marielly Barbosa Rodrigues, na época com 19 anos, irmã de Mayara. 

Na epoca foi divulgada a suspeita de que Marielly teve um caso com o cunhado Hugleice e ficou grávida. Ele esquematizou o aborto da jovem junto com o enfermeiro Jodimar Ximenes Gomes que cobrou R$ 1 mil para realizar o procedimento. Mesmo tendo ajudado Marielly a abortar, ele sempre negou ser o pai da criança. A defesa também nega o relacionamento entre os dois e alega não ter provas materiais sobre o fato.

No dia 21 de maio de 2011, a vítima saiu de casa e não foi mais vista. A família toda, inclusive Hugleice fizeram campanhas e peregrinações para encontrar a jovem, até que no dia 11 de junho o corpo dela foi achado em um canavial em Sidrolândia.

Hugleice levou a cunhada para a casa do enfermeiro para realizar o aborto. Momentos depois, Jodimar avisou que Marielly havia morrido e os dois levaram o corpo da mesma e dispensaram no canavial.
A Justiça conseguiu descobrir que Hugleice tinha falado com Marielly por telefone no dia do desaparecimento e as provas foram aparecendo.

A empregada do enfermeiro Jodimar confirmou ter visto Hugleice na casa, e a operadora do celular dele indicou a localização em Sidrolândia. A família de Marielly teria mentido ao dizer que Hugleice permaneceu em casa no período da tarde no dia do crime.

O enfermeiro Jodimar Ximenes Gomes e Hugleice foram indiciados por aborto e ocultação de cadáver. Eles permaneceram um tempo presos, e posteriormente conseguiram na Justiça o direito de responder em liberdade.

PMCG - Cidade do Natal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Fazendeiro é avisado por telefonema que sua vaca foi abatida e roubada
Polícia
Marido espanca e prende esposa dentro de casa
Polícia
Irmãos são executados a tiros em bar
Polícia
Genro diz que matou sogro após ouvir que seria atropelado
Polícia
Bandido invade casa e mata idoso a pauladas para roubar
Polícia
Homem agride esposa e se esconde da polícia em baixo de carro
Polícia
Mecânicos são presos por pesca em piracema
Polícia
Criança de dois anos morre em acidente fatal
Polícia
Assassinato de índios Guajajara provocam manifestação em rodovia
Polícia
Juiz determina volta de Jamil Name para Campo Grande

Mais Lidas

Geral
Silvio Haddad lança livro sobre vinhos nesta terça
Brasil
''Forças Armadas garantem a democracia'', diz Bolsonaro
Política
Dagoberto chama manifestante de "maluco" e diz que projeto ainda não foi votado
Polícia
Fazendeiro é avisado por telefonema que sua vaca foi abatida e roubada