Menu
Menu
Busca sábado, 25 de maio de 2024
Camara Maio24 - TV camara
Polícia

Dívida por droga motivou assassinato de homem no Los Angeles em dezembro

Gidimauro da Silva Carvalho foi morto com pelo menos seis tiros na madrugada do dia 12 do mês passado

19 janeiro 2023 - 10h10Vinicius Costa    atualizado em 19/01/2023 às 10h35

A Polícia Civil, por meio da 5° Delegacia, indiciou o Jeferson Peralta Ximenes, de 27 anos, suspeito pelo crime de posse irregular de arma de fogo e homicídio contra Gidimauro da Silva Carvalho, de 37 anos, encontrado morto a tiros em um imóvel no bairro Los Angeles, em Campo Grande, na madrugada do dia 12 de dezembro.

Segundo informado pelo delegado titular Rodolfo Daltro, as investigações apontaram que a vítima foi morta em decorrência de uma dívida por causa de venda de droga na região.

Durante a tarde de quarta-feira (18), dias após a polícia identificar a autoria e motivação, o principal suspeito se apresentou na delegacia e assumiu ter disparado contra Gidimauro, mas que agiu em legítima defesa.

Ainda conforme as explicações apresentadas pelo suspeito, no dia do crime ele estaria andando com uma pistola de calibre 9 milímetros na cintura, quando foi informado por alguém de que a Polícia Militar estaria realizando rondas pelo Los Angeles. Assim, evitando ser abordado, ele se dirigiu até sua residência no intuito de guardar a arma.

Porém, ao chegar no imóvel visualizou Gidimauro tentando entrar e forçando a porta, momento em que ele pediu para que a vítima parasse e levantasse as mãos, numa forma de permanecer rendido. No entanto, segundo o suspeito, houve uma tentativa de Gidimauro partir para cima do autor, quando foi efetuado seis disparos.

O delegado explicou ainda que as diligências continuam para apurar a versão apresentada de legítima defesa, que segundo Daltro, "apresentou várias inconsistências", além de apreender a arma usada no crime, no qual o suspeito informou que a pistola foi extraviada durante a fuga.

O suspeito foi ouvido e liberado ainda na quarta-feira. Ao JD1 Notícias, Rodolfo Daltro salientou que vai realizar mais diligências, ouvir outras pessoas e depois finalizar o inquérito para eventualmente representar pela prisão preventiva de Jeferson pelos crimes relatados e caberá a Justiça de Mato Grosso do Sul, aceitar ou não o pedido.

JD1 No Celular

Tenha em seu celular o aplicativo do JD1 e acompanhe em tempo real todas as notícias. Para baixar no IOS, clique aqui. E aqui para Android.

Reportar Erro
Assembleia - Maio24

Deixe seu Comentário

Leia Também

Domingos Brazão é acusado de ser um dos possíveis mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco
Polícia
Domingos Brazão tinha HD com informações de delações contra ele, diz PF
Presídio de Segurança Máxima, em Campo Grande
Polícia
Mulher é detida após tentar entregar celular para irmão no Presídio da Máxima
Polícia Civil iniciou as investigações sobre o crime
Polícia
Jovem é esfaqueado em discussão por mulher e morre em hospital de Sidrolândia
Vítima foi atendida no UPA Coronel Antonino
Polícia
Pai é preso por esfaquear filha na orelha ao tentar repreendê-la no Danúbio Azul
Arma foi apreendida durante a ocorrência
Polícia
Odontologista é presa por tentar entrar armada em boate de Campo Grande
 UPA do Jardim Leblon
Polícia
Acusado de furto, homem é espancado por três suspeitos no Jardim Carioca
Projétil explode e homem fica ferido após tentar tirar pólvora em chácara de Ribas
Polícia
Projétil explode e homem fica ferido após tentar tirar pólvora em chácara de Ribas
Carro de Amalha poderia ser revendido na fronteira
Polícia
Como golpe não deu certo, carro de corretora seria vendido na fronteira
Fabiano já estava com um mandado de prisão em aberto
Polícia
Assassino de Amalha não pensava em fugir da Capital
Além do socorro, equipes da PMR (Polícia Militar Rodoviária) atenderam a ocorrência
Polícia
Motorista fica ferido após carreta carregada com açúcar sair da pista na MS-276

Mais Lidas

Amalha trabalhava como corretora de imóveis
Polícia
Corretora foi morta a pauladas por 'amigo' após não entrar em esquema de golpe
Amalha era corretora de imóveis
Polícia
AGORA: Choque prende um dos autores do assassinato da corretora Amalha Mariano
Amalha foi vítima de três sessões de espancamento antes de ser morta em Porto Seco
Polícia
Amalha foi vítima de três sessões de espancamento antes de ser morta em Porto Seco
O caso foi registrado na Depac Cepol em Campo Grande
Polícia
Mulher é ameaçada de morte por agiota na Capital: 'vai pagar por bem ou por mal'