Menu
Menu
Busca quarta, 28 de fevereiro de 2024
Polícia

Homem é preso em MS após passar mãos em partes íntimas de criança

Menina de 11 anos brincava quando ato libidinoso aconteceu

24 outubro 2022 - 06h30Vinicius Costa    atualizado em 24/10/2022 às 07h11

Homem, de 47 anos, foi preso neste final de semana sob a acusação de ter abusado sexualmente de uma menina, de 11 anos, no bairro Vila Beatriz, na cidade de Nova Andradina.

De acordo com as informações, a criança estava brincando durante a tarde e o acusado teria se aproveitado, cometendo o ato libidinoso.

Segundo o site Nova News, o homem tocou nas partes íntimas da vítima. Assustada, ela correu e contou para a família o que havia acontecido.

A Polícia Militar foi acionada e o homem preso em flagrante.

JD1 No Celular

Tenha em seu celular o aplicativo do JD1 e acompanhe em tempo real todas as notícias. Para baixar no IOS, clique aqui. E aqui para Android.

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Motorista acerta guard rail da Gunter Hans e fica preso às ferragens
Polícia
Vítima de capotamento, idoso morre um dia antes de fazer aniversário em MS
Polícia
Após queixa da esposa, marido mata e arranca os órgãos dela em São Paulo
Geral
Volume de cabos de telecomunicação furtados em 2023 chegou a 5,4 milhões
Polícia
Mulher é presa ao ser flagrada transportando mais de R$ 500 mil em celulares ilegais
Polícia
Irmãos desaparecem após o pai dizer que sairia de casa em Dourados
Polícia
Neta tenta reanimar avô, mas idoso morre após queixar-se de dores em Campo Grande
Polícia
Apoiadores de Bolsonaro zombam de investigação da PF sobre crime ambiental
Polícia
Mulher quebra rastelo na vizinha durante briga por causa de lixo em Três Lagoas
Polícia
JD1TV: Advogada encontra camarão com 'cocô' em sushi do centro de Campo Grande

Mais Lidas

Vídeos
Vídeo: Travesti bate em jovem e tribunal a pune
Justiça
Ex-secretários de saúde de Glória de Dourados são condenados pelo TCE-MS
Geral
Mulher de 33 anos morre após se queimar fritando ovo em casa
Justiça
Camila Jara enfrenta batalha jurídica no TRE