Menu
Busca quinta, 19 de maio de 2022
(67) 99647-9098
Tjms Maio22
Polícia

Menina mostrou onde a professora 'pegava', dias antes da 'bomba estourar' na Capital

O primeiro caso foi registrado na segunda-feira (9), na DEPAC

12 maio 2022 - 17h23Brenda Assis

Dias antes de a ‘bomba’ estourar na Escola Escola Particular de Educação Infantil Mon Pétit, envolvendo uma professora, uma mãe teria levado a filha até a DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), na tarde de segunda-feira, dia 9 de maio.

Conforme consta na ocorrência, a menina, de apenas três anos, estuda na instituição há apenas sete meses e tudo ia bem. Porém, há pouco tempo a criança passou a não querer mais ir para a aula, mesmo assim, a mãe levava a filha.

Por motivos de saúde, a menina deixou de ir para a escola durante um mês, mas quando melhorou e precisou voltar as aulas demonstrava o mesmo sentimento de não querer ir para a instituição.

A menina passou por atendimento no setor psicosocial, mas não expressou nada com palavras. Através de gestos, ela mostrou e deixou claro que a professora pegou em sua genitália, demonstrando desconforto.

Apenas na quarta-feira (11), outros dos pais procuraram a DEPCA para poder registrar um segundo boletim de ocorrência de estupro de vulnerável e também de agressão.

Sinais

Na frente da delegacia, a mãe de outra menina abusada contou chorando os sinais que a filha passou a apresentar após o caso. 

"Ela chupou meu dedo, reclamava de dor na genitália, não queria que desse banho, passou a ficar retraída. Passei por isso praticamente sozinha. Ao perguntar pra ela quem tinha feito aquilo [chupar o dedo], ela me contou que tinha sido a professora na hora do recreio", disse. 

A mãe relatou ainda que durante reuniões na escola, não foi acolhida e também se sentiu coagida pela diretora. "Na primeira reunião falei com a psicóloga, ela chegou a me dar algumas devolutivas. Já na segunda reunião, tinha mais cinco pais lá e eu me senti coagida. Não era esse o tratamento que eles deveriam dar a uma mãe em um momento como esse", lembrou ela chorando.

A menina atualmente está sendo atendida por uma psicóloga e passando por tratamento com ginecologistas.

O caso

Uma professora da Escola Particular de Educação Infantil Mon Pétit, está sendo acusada de abusar sexualmente de seus alunos desde o ano de 2020. O caso foi denunciado pela mãe de um menino de 4 anos a DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), na manhã de quarta-feira (11), em Campo Grande. 

Em um segundo boletim de ocorrência, a mãe de outra aluna, de 3 anos, foi informada pela filha que a professora teria batido nela e em uma amiguinha. A criança contou que um colega de turma teria visto a agressão.

O caso agora segue sendo investigado pela DEPCA.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
PF apreende 11,3kg de pasta base escondida em saco de batata em Corumbá
Polícia
Carga de contrabando avaliada em R$ 18 mil é apreendida na MS-040
Polícia
Justiça decreta prisão preventiva para presos com conteúdo de sexo infantil
Polícia
Vídeo mostra policiais federais sendo assassinados na BR-116; assista
Polícia
Mulher é presa na fronteira com armas e munições grudadas no corpo
Polícia
Designer preso com pornografia infantil disse que não sabia dos conteúdos
Polícia
Seis toneladas de drogas são apreendidas em casa na cidade de Dourados
Polícia
Bandido morre em troca de tiros com a polícia durante operação em Dourados
Polícia
PMA atua madeireira em R$ 23 mil e apreende material ilegal no Nova Lima
Polícia
Homem é morto a facadas e família vinga de suspeito com arma de fogo em Nioaque

Mais Lidas

Polícia
Detento é encontrado morto em cela no presídio da Gameleira
Política
Luiz Renato é o novo secretário de Fazenda de MS
Geral
Mulher pede ajuda em bar e é socorrida com hipotermia na Capital
Interior
Furioso, marido morde e arranca parte de orelha de esposa