Menu
Busca domingo, 09 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Governo 02
Polícia

Presos confeccionam e barateiam custo de uniforme escolar

Economia a prefeitura será de 40% no custo final

07 dezembro 2019 - 11h20Jônathas Padilha, com informações da assessoria

Os detentos da Penitenciária Estadual de Dourados (PED) têm a meta de concluir a confecção de uniformes escolares completos de alunos da rede municipal de ensino de Três Lagoas, encomendado pela ONG Artaban, que possui uma oficina de costura no presídio.

Outra parte da produção é realizada na Penitenciária de Segurança Média de Três Lagoas (PSMTL).

A iniciativa leva capacitação, ocupação produtiva, remunerada aos custodiados e reflete diretamente no processo de ressocialização.

Além de representar economia significativa aos cofres públicos, bem como a garantia de os alunos receberem seus uniformes no início do ano letivo. Segundo a ONG Artaban, a confecção nas unidades prisionais garantirá uma economia de 40% no custo final para a Prefeitura.

Aud de Oliveira Chaves, diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) destacou que ação é vantajosa para todos. “É vantagem para todos os envolvidos”, pois o trabalho ajuda a reduzir os índices de violência, já que diminui a probabilidade de reincidência no crime.

Todo o processe é realizado na penitenciária, desde o corte até a parte de serigrafia das peças e tudo com muito cuidado, sob o olhar atento da supervisora da Artaban, Neide de Souza Silva, que também é responsável por treinar os detentos.

Neide afirma que trabalho é gratificante por apresentar um novo caminho a essas pessoas. “Temos três ex-internos aqui da PED, que agora estão no semiaberto, que estão com projeto de se unirem e montarem uma confecção; isso alegra bastante a gente, pretendemos, inclusive, doar máquinas de costura para que possam iniciar esse projeto”, revelou.

Josimar Carvalho, 33 anos, detento da PED, acredita no valor do trabalho digno. “Eu não sabia nem como pregar um botão e hoje me sinto qualificado para trabalhar em qualquer indústria de confecção, ou quem sabe montar o meu próprio negócio quando eu sair daqui”, comentou esperançoso.

Os detentos têm garantido ¾ de remuneração do salário mínimo mensal e remição de um dia na pena a cada três de serviços prestados, conforme estabelece a Lei de Execução Penal.

O convênio tem o objetivo de fabricar 68 mil peças nas duas penitenciárias, entre bermudas, camisetas com mangas e regatas, mochilas pequenas e grandes, além dos estojos.

Outros trabalhos

Segundo o diretor Antônio José dos Santos, cerca de 600 internos trabalham na Penitenciária Estadual de Dourados. Além das oficinas de costura e serigrafia, os presos atuam atendendo a própria unidade na cozinha, padaria, barbearia, costura de bolas, fabricação de tanques e pias em concreto, reciclagem, entre outros serviços.

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Fazendeiro é multado em R$ 5 mil por caça ilegal de jacaré
Polícia
Mãe e filho são presos após realizarem festa clandestina em MS
Polícia
Polícia vai atender ocorrência de incêndio e encontra corpo carbonizado
Polícia
Detido por ameaçar a esposa, jovem chuta e fratura mão de policial
Polícia
Homem é assassinado a facadas e pauladas próximo a Reserva Indígena
Polícia
Operação Hórus: homem é preso 800 caixas de cigarros contrabandeados
Polícia
Prefeito é preso com armas e animais abatidos em Mato Grosso
Polícia
Duas mulheres são presas com 33,6 Kg de maconha
Polícia
Mulher transportando 2 Kg de cocaína acaba presa em MS
Polícia
Dezenas de fuzis, pistolas e carregadores foram apreendidos pela PRF

Mais Lidas

Saúde
UPAs terão 16 pediatras atendendo pela manhã e a tarde, veja onde encontrá-los
Clima
Temperatura pode chegar a 32°C na capital neste domingo
Cidade
Obras na Ernesto Geisel serão retomadas amanhã
Geral
Polícia Civil recebe veículo para ser usado em atendimento assistencial de policiais