Menu
Busca quarta, 22 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Política

Audiência Pública resulta em notificação ao MP

O debate girou em torno da retenção de macas nas UPAs e Centros Hospitalares de Campo Grande

02 dezembro 2018 - 13h40Da redação com assessoria

A audiência pública com o tema “Retenção de Macas nas Unidades de Pronto Atendimento nos Centros de Saúde e Hospitais da Capital”, realizada pela Assembleia Legislativa na última sexta-feira (30), resultou em uma representação a ser feita junto ao Ministério Público sobre o quadro desenvolvido em Campo Grande.  

A audiência foi proposta pelo deputado Dr. Paulo Siufi (MDB), e contou com a participação de representantes do Ministério Público Estadual (MPE/MS), Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS) e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Campo Grande, que expuseram a situação vivenciada pelos servidores da rede de saúde e sugeriram soluções ao problema.

De acordo com o Tenente-Coronel dos Bombeiros Huesley Paulo da Silva, 102 macas da Corporação foram retidas entre setembro e outubro, além de outras 75 no mês anterior. “Consideramos que deve ser feita uma colaboração de gestão entre os vários órgãos envolvidos dentro da urgência emergência para amenizar o número de retenções, pois a população não pode pagar o preço da falta desses instrumentos”, disse.

Cláudio da Silva, atual superintendente do Hospital Universitário da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), demonstrou  interesse em encontrar soluções para o problema. “Durante esse ano, toda nossa equipe de assistência e grupo administrativo de planejamento se debruçou para tentar conhecer outras experiências e também rever os nossos processos de trabalho em emergências”, afirmou. O superintende também explicou que devido a grande lotação do hospital muitas vezes as macas acabam ficando com pacientes no local.  “Nós temos um quantitativo estabelecido e estamos atendendo entre  duas e três vezes além do contratado, o que deixa o hospital de ponta cabeça”, disse.

Ao final da reunião, o deputado proponente resumiu os encaminhamentos e serão solicitados do MPE, verificações e motivos do Corpo de Bombeiros ter duas viaturas de resgate, sendo que deveriam ser no mínimo sete, dentre outros.  Siufi avaliou com otimismo os pedidos. “Acredito que o Ministério Público irá cobrar de imediato este posicionamento, pois queremos saber o porquê de que não estarmos funcionando a pleno vapor”, finalizou.

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Para presidente do PSL, Bolsonaro não precisa de manifestações
Política
Nelsinho preside audiência pública para preservação ambiental em Bonito
Polícia
Operação no camelódromo termina com um preso e motos apreendidas
Política
TRE-MS e Assembleia assinam termo de cooperação audiovisual
Política
Blal Dolloul, de MS, está entre os dez candidatos à PGR
Política
Coronel David pede reparo em câmeras de rodovia
Polícia
Ministério do Desenvolvimento libera R$ 581 mil para Coronel Sapucaia
Política
Projeto alternativo na Previdência é apenas "ruído", afirma Marinho
Política
Azambuja viaja à Brasília para debater FCO
Política
Nesta semana, aposentadoria de professores e policiais entra em discussão na Câmara

Mais Lidas

Internacional
Peão de MS vence rodeio nos EUA
Polícia
Com quatro tiros na cabeça, adolescente morre em escola
Economia
No “Dia Livre de Impostos”, capital terá cerveja com metade do preço
Polícia
Operação no camelódromo termina com um preso e motos apreendidas