Menu
Busca quinta, 02 de dezembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS nov21
Política

Audiência Pública resulta em notificação ao MP

O debate girou em torno da retenção de macas nas UPAs e Centros Hospitalares de Campo Grande

02 dezembro 2018 - 13h40Da redação com assessoria

A audiência pública com o tema “Retenção de Macas nas Unidades de Pronto Atendimento nos Centros de Saúde e Hospitais da Capital”, realizada pela Assembleia Legislativa na última sexta-feira (30), resultou em uma representação a ser feita junto ao Ministério Público sobre o quadro desenvolvido em Campo Grande.  

A audiência foi proposta pelo deputado Dr. Paulo Siufi (MDB), e contou com a participação de representantes do Ministério Público Estadual (MPE/MS), Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS) e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Campo Grande, que expuseram a situação vivenciada pelos servidores da rede de saúde e sugeriram soluções ao problema.

De acordo com o Tenente-Coronel dos Bombeiros Huesley Paulo da Silva, 102 macas da Corporação foram retidas entre setembro e outubro, além de outras 75 no mês anterior. “Consideramos que deve ser feita uma colaboração de gestão entre os vários órgãos envolvidos dentro da urgência emergência para amenizar o número de retenções, pois a população não pode pagar o preço da falta desses instrumentos”, disse.

Cláudio da Silva, atual superintendente do Hospital Universitário da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), demonstrou  interesse em encontrar soluções para o problema. “Durante esse ano, toda nossa equipe de assistência e grupo administrativo de planejamento se debruçou para tentar conhecer outras experiências e também rever os nossos processos de trabalho em emergências”, afirmou. O superintende também explicou que devido a grande lotação do hospital muitas vezes as macas acabam ficando com pacientes no local.  “Nós temos um quantitativo estabelecido e estamos atendendo entre  duas e três vezes além do contratado, o que deixa o hospital de ponta cabeça”, disse.

Ao final da reunião, o deputado proponente resumiu os encaminhamentos e serão solicitados do MPE, verificações e motivos do Corpo de Bombeiros ter duas viaturas de resgate, sendo que deveriam ser no mínimo sete, dentre outros.  Siufi avaliou com otimismo os pedidos. “Acredito que o Ministério Público irá cobrar de imediato este posicionamento, pois queremos saber o porquê de que não estarmos funcionando a pleno vapor”, finalizou.

Senar Agrinho dez21

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Senado aprova PEC dos Precatórios
Política
Após bebedeira homem é encontrado morto em quintal
Política
Bolsonaro adia vinda a Porto Murtinho
Política
Londres Machado pede apoio à candidatura de Riedel a governador
Política
Azambuja defende união entre os estados para incentivar a vacinação contra Covid
Política
Presidente Bolsonaro assina filiação ao PL
Política
Azambuja vai a Curitiba para reunião com governadores do Codesul
Política
Governador anuncia curso novo na UEMS e investimento de R$7 milhões
Política
Sabatina de André Mendonça é marcada para quarta-feira no Senado
Política
Pesquisa IPR mostra quadro eleitoral em MS

Mais Lidas

Brasil
Carteiro é baleado ao fazer entrega em condomínio; assista
Vídeos
Homem se masturba na frente de crianças em condomínio; assista
Polícia
Mulher encontra corpo de bebê escondido em sacola ao descongelar geladeira
Internacional
Perereca suicida? Modelo atira na própria vagina ao gravar vídeo erótico