Menu
Busca quarta, 23 de janeiro de 2019
(67) 99647-9098
PMCG Balanço super banner
Política

Comissão de Moradia Digna no MS é apresentada em Audiência

A Audiência Pública sobre ocupações urbanas lotou a Assembleia Legislativa e representantes relataram péssimas condições de moradia

08 novembro 2018 - 10h07Da redação

A audiência pública sobre  “As ocupações Urbanas e a Defesa da Moradia Digna em Mato Grosso do Sul”, lotou o Plenário Júlio Maia na tarde de quarta-feira (7). Representantes de ocupações da cidade e do interior do estado relataram dificuldades e abusos que são submetidos aqueles que buscam uma casa própria sem ter condições financeiras. No envento a proposta de criar uma Comissão em Defesa da Moradia também foi indicada pelos participantes.

Proposta pelo deputado João Grandão (PT), que coordena a Frente Parlamentar da   Defesa e Assistência Social do Legislativo sul-mato-grossense, a reunião teve  como resultado a proposta da criação da Comissão de Mediação de Conflitos  em Defesa da Moradia Digna no Mato Grosso do Sul.

Para o deputado a criação da Comissão ressalta o caráter  democrático dos trabalhos legislativos. “Iremos propô-la, juntamente com a   participação de outros companheiros, a qual julgo extremamente importante, haja vista o déficit habitacional que tivemos conhecimento nesta audiência”, avaliou o parlamentar.

Além das lideranças, estiveram compondo a mesa de debates a defensora pública Eni Maria Severino Diniz, coordenadora do Núcleo de Ações Institucionais e Estratégicas (NAE) da instituição, o promotor de justiça Luciano Furtado Loubet, que integra o Núcleo Ambiental de Apoio, o membro da Comissão de Direitos Humanos da Seção de Mato Grosso do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB-MS), Lairson Palermo, o coordenador do Centro de Defesa dos Direitos Humanos Marçal de Souza, João Cyrino, a diretora-presidente da Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (AGEHA), Maria do Carmo Avesani e o presidente da Agência Municipal de Habitação de Campo Grande (EMHA), Eneás José de Carvalho Netto.

Para Edimar Cintra, presidente da Associação Nacional da Luta pela Moradia, a seriedade dos conflitos relacionados à moradia justificaram a realização do evento. “São disputas que envolvem direitos dos particulares e também do estado. Assim, como a participação dos moradores, operadores do Direito e servidores da Administração Pública. Por isso, a perspectiva é promissora visto que apontamos soluções embasadas no arcabouço legal, podendo levar ao Legislativo e Executivo a possibilidade de fazer o que precisa sem violar a lei, apenas implementando por políticas publicas”, declarou.

 


 

Sesc Novo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Vídeo: Coringa aciona ANEEL contra Energisa
Política
Reinaldo anuncia replanejamento para estabelecer obras prioritárias
Política
Para Romero, boatos de abuso sexual foram plantados por inimigos
Política
Problemas pelo Brasil estão sendo “mapeados” por ministros, diz Bolsonaro
Política
Confirmado: Simone Tebet vai disputar presidência do Senado
Política
Documentos aumentam dúvidas sobre ameaças à Soraya na campanha de 2018
Política
As razões de Flávio Bolsonaro
Saúde
Alimentar pombos está proibido em Campo Grande
Política
Ademar Capuci entra na disputa para prefeito de Nova Andradina
Política
Reforma da Previdência chega ao Congresso em fevereiro

Mais Lidas

Polícia
Sem ‘lucro’, homem mantinha garotas de programa em cárcere
Polícia
Brasileiro morre em acidente no Paraguai
Oportunidade
Funtrab abre seleção com salários de até R$ 5,9 mil
Polícia
Homem cai de pá-carregadeira e morre esmagado