Menu
Busca quarta, 15 de julho de 2020
(67) 99647-9098
TJMS julho20
Política

Juiz revoga determinação de retirar YouTube do ar em MS

29 setembro 2012 - 16h23Reprodução / YouTube

Na tarde desta sexta-feira (28), o juiz Flávio Saad Peron, da 35ª Zona Eleitoral de Campo Grande, revogou a determinação de retirar o site YouTube do ar por um dia em Mato Grosso do Sul. O juiz disse ao G1 que a pena é desnecessária, já que o Google cumpriu a determinação judicial de bloquear os vídeos em que o candidato a prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), é acusado de praticar crimes.

Segundo o juiz, a empresa protocolou uma petição na quinta-feira (27) informando que havia cumprido a decisão. Após análise, Peron decidiu pela revogação.

Segundo ele, o Google será comunicado a respeito da decisão. Junto com o documento será encaminhado ofício pedindo a identificação do usuário que postou o vídeo. "Eu já havia notificado a empresa para me mandar essas informações, mas eles pediram um tempo e agora vou cobrá-los novamente", afirma o juiz.

A assessoria de imprensa do Google informou ao G1 que a empresa ainda não foi notificada sobre a decisão do juiz.

Os vídeos começaram a ser retirados do YouTube na noite de quinta-feira (27). Em nota assinada pelo diretor-geral da corporação no Brasil, Fábio Coelho, a assessoria de imprensa da companhia informou que iria cumprir a decisão judicial.

Ao serem acessados, alguns dos vídeos exibem o comunicado "este conteúdo não está disponível em seu país devido a um requerimento legal do governo". No entanto, outros vídeos com o mesmo conteúdo ainda não foram retirados do ar e podem ser visualizados normalmente.

O caso
De acordo com a decisão judicial, o Google não retirou do YouTube dois vídeos que continham calúnias, injúrias e difamações contra Alcides Bernal, candidato à prefeitura de Campo Grande pelo Partido Progressista (PP). Por isso, a Justiça Eleitoral em Mato Grosso do Sul emitiu mandado de prisão contra o diretor-geral do Google Fábio José Silva Coelho.

O empresário foi detido nesta quarta-feira (26) em São Paulo e levado para uma delegacia da Polícia Federal. O diretor da empresa foi ouvido e liberado no mesmo dia depois que um Termo Circunstanciado de Ocorrência foi assinado pelo empresário. A empresa disse ao G1 antes da prisão de seu diretor que recorre das decisões e que não é responsável pelo conteúdo publicado por usuários no YouTube.

Histórico
As imagens que circulam pela internet apontam Bernal como incentivador da prática de aborto, além de ter relação com crimes de embriaguez, lesão corporal contra menor, enriquecimento ilícito e preconceito contra os mais pobres.

Em entrevista ao G1, o candidato Alcides Bernal afirmou que o conteúdo dos vídeos postados na internet é "mentiroso". Ele disse ainda que os vídeos fazem parte de uma “estratégia eleitoreira” para abalar a candidatura dele como prefeito.

Via G1

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
“Caso de polícia”, diz Fábio sobre fake news de lockdown na capital
Política
Capital: Câmara testa plataforma de sessão remota nesta quarta
Política
Câmara aprova projeto de proteção às mulheres em bares e casas noturnas
Política
Paulo Corrêa se recupera do coronavírus e retoma atividades na Assembleia
Política
PL exige formas alternativas de educação à alunos do ensino médio
Política
Hidroxicloroquina é tema de debate na Câmara
Política
Michelle Bolsonaro testa negativo para Covid-19
Política
Simone e Nelsinho avaliam como positiva escolha do novo ministro da Educação
Política
Movimento protesta contra Bolsonaro na Afonso Pena
Política
Alunos podem ter aferição de temperatura obrigatória na volta às aulas

Mais Lidas

Polícia
“Encontraram o monstro”, diz primo de Carla sobre assassino
Polícia
Ex-patroa é denunciada por abandono de incapaz que resultou em morte
Saúde
MP solicita inspeção em frigoríficos no interior
Polícia
Comerciante foi morta porque reconheceu voz de ex-funcionário, diz investigação