Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Governo dengue 02 - Atitude
Política

“Não entendo o porquê a Energisa questiona a CPI se não existem irregularidades”, diz Orro

Concessionária obteve liminar na Justiça para barrar pesquisas em medidores promovidas pela USP

27 maio 2020 - 17h15Flávio Veras

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a Energisa, deputado Felipe Orro (PSDB), afirmou nesta quarta-feira (27) não entender o motivo da concessionária barrar na Justiça, análises feitas pela Universidade de São Paulo (USP), em 200 medidores recolhidos em Campo Grande. A Energisa obteve uma liminar que suspendeu as perícias promovidas pela universidade.

Segundo o presidente da CPI, o pedido foi recebido com surpresa pela Comissão, pois a os trabalhos estavam sendo acompanhados com técnicos próprios da empresa. “A empresa alega que não existe nenhuma irregularidade nos aparelhos, logo, essa perícia iria isentar a própria concessionária de dúvidas que existem sobre medição indevida. O que não podemos, nós fiscalizadores, muito menos consumidores, ficarmos com essa dúvida permanente, já que as reclamações de consumo elevado sem justificativa são muitas”, explicou.

Devido a liminar, a CPI - através da Mesa Diretora da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) - impetrou na última segunda feira (25) dois recursos no processo. Um deles pede a suspensão da liminar para que a USP de São Carlos, continue com as perícias nos medidores.

“No pedido a empresa argumentou que o laboratório na universidade não tem certificação do Inmetro e que existe uma legislação que aborda essa exigência. Porém, essa fundamentação não procede, pois nessa regulamentação pede que o local ‘pode’ ser certificado pelo instituto de pesquisa, e não que ‘deve’, como alegado”, pontuou.

E complementou a informação dizendo que ‘todas as ferramentas de analises são certificadas pelo Inmetro. Além disso, a USP é uma entidade educacional reconhecida mundialmente, com laboratórios de ponta e um corpo docente qualificado. Nossa analise estava sendo elaborado por metres e doutores em engenharia elétrica. Portanto, novamente, não entendo como a empresa pode questionar a Universidade de São Paulo.”

Imbróglio jurídico

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, deferiu a liminar para a Energisa, suspendendo a perícia dos medidores de consumo que seriam realizados no Departamento de Engenharia da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos.

No processo em que pediu a liminar, a Energisa alegou que a CPI não tinha legitimidade para determinar aferição dos medidores e colocou em dúvida a capacidade técnica do Laboratório de Sistemas de Energia Elétrica (LSEE) da scola de Engenharia da USP de São Carlos. 

Em um dos recursos encaminhado ao presidente do Tribunal de Justiça, Paschoal Carmello Leandro, a assessoria jurídica da Assembleia, pediu a suspensão da liminar para dar continuidade a pesquisa.

Conforme o recurso impetrado pela Assembleia, os advogados da Energisa alteraram propositalmente o teor de resolução da Aneel que trata de perícia, levando o desembargador João Maria Lós - que analisou o pedido de liminar - a decidir em favor da concessionária. A palavra “pode” foi trocada por “deve” no trecho da resolução que cita: “A aferição da medição pode ser realizada pela rede de laboratórios acreditados.” Dessa forma, o que seria opcional (pode) se tornou obrigatório (deve).

Nota da Energisa

Conforme a Energisa, a empresa não é contra a perícia, e afirma que ainda não foi comprovado nem pela USP São Carlos nem pela CPI que o laboratório é acreditado no Inmetro. Desta forma, o laudo analisado pela CPI seria apenas convencional, sem valor técnico e legal.

A Energisa informa também que discorda da forma como a perícia dos medidores seria conduzida, e que as informações solicitadas são estritamente necessárias para garantir que o processo seja transparente, seguindo os procedimentos metrológicos definidos pelo Inmetro.

PMCG Refis

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Michelle Bolsonaro testa negativo para Covid-19
Política
Simone e Nelsinho avaliam como positiva escolha do novo ministro da Educação
Política
Movimento protesta contra Bolsonaro na Afonso Pena
Política
Alunos podem ter aferição de temperatura obrigatória na volta às aulas
Política
“Estou bem melhor”, diz Paulo Corrêa
Política
Na assembleia, Coronel David lamenta morte de PM
Política
Assembleia aprova estado de calamidade em Bodoquena, Bela Vista e Terenos
Política
Câmara aprova adicional de 40% a trabalhadores do combate ao coronavírus
Política
Paulo Corrêa testa positivo para coronavírus
Política
Dourados fecha bares e academias por dez dias

Mais Lidas

Polícia
Casal de adolescentes é acusado por furto de notebooks, videogames e veículos
Polícia
Foragido invade casa da mãe e a ameça de morte para conseguir dinheiro
Saúde
Frigorífico interrompe atividades para frear surto de coronavírus em Juti
Polícia
Idoso cai do 8º andar, sobrevive e está em observação na Santa Casa