Menu
Busca terça, 02 de junho de 2020
(67) 99647-9098
Política

Setor produtivo apoia Marum em conselho de Itaipu

A nomeação do ex-deputado federal ao cargo é uma garantia da construção da ponte sobre o Rio Paraguai

04 janeiro 2019 - 10h53Da Redação com Assessoria

A manutenção da nomeação do ex-ministro da Secretaria de Governo e ex-deputado federal, Carlos Marun (MDB-MS), para o Conselho da Itaipu Binacional é mais uma garantia da construção da ponte sobre o Rio Paraguai, que vai ligar Porto Murtinho (MS) a Carmelo Peralta (PY) e tem previsão de conclusão em 2021. A avaliação é do setor produtivo de Mato Grosso do Sul composto por Fiems, Fecomércio-MS, Famasul e Faems, bem como da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil seccional Mato Grosso do Sul).

Na opinião do presidente da Fiems, Sérgio Longen, essa obra é fundamental para a concretização da chamada Rota Bioceânica, que unirá os oceanos Atlântico e Pacífico, tornando-se ponto estratégico para a economia do estado, pois aumentará o movimento das exportações e importações sul-mato-grossenses e de outras regiões do Brasil com o Paraguai, Argentina e Chile. “O ponto positivo para nós é que, como será a Itaipu Binacional que vai financiar as obras da ponte entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta, a manutenção do ex-ministro Carlos Marun como conselheiro será uma grande oportunidade de mantermos os investimentos no empreendimento”, alegou.

Ele ressalta que, por isso, os empresários do setor industrial de Mato Grosso do Sul dão os parabéns a Carlos Marun pela indicação ao cargo e congratulam o ex-presidente da República, Michel Temer, pela nomeação. “Também queremos destacar a sensibilidade do presidente Jair Bolsonaro de assegurá-lo no Conselho da Itaipu Binacional, mesmo com toda a pressão contrária por parte de outros integrantes do atual governo”, declarou.

O presidente da Fecomércio-MS, Edison Araújo, também avalia positivamente a manutenção de Carlos Marun no cargo. “Ele é do nosso estado e ajudou a garantir esse investimento e com o Marun estando no Conselho da Itaipu Binacional fica tudo mais fácil. Com essa ponte, as nossas exportações e importações serão facilitadas, pois Mato Grosso do Sul está no coração do Mercosul, facilitando as coisas para o setor produtivo. As negociações para a agropecuária, indústria e comércio terão um incremento”, assegurou.
Para o presidente da Famasul, Mauricio Saito, foi uma decisão acertada do ex-presidente Michel Temer indicar o Carlos Marun pensando no setor produtivo de Mato Grosso do Sul. “O Marun, além de ser engenheiro e conhecedor de todo esse processo, pode auxiliar com o que ele tem de histórico sobre a Itaipu. Além disso, o fato de ter sido ministro traz um conhecimento profundo de como realizar esse trabalho. O setor agropecuário do Estado tem um grande ganho pelo fato de ter uma competitividade a mais em razão da logística de transporte da nossa produção para o mercado consumidor asiático. No lado cultural, essa nova oportunidade que será aberta com a Rota Bioceânica levará a possibilidade de incremento devido as trocas entre os povos dos países envolvidos”, analisou.

O presidente da Faems, Alfredo Zamlutti, ressalta que é de extrema importância que Carlos Marun continue no Conselho da Itaipu Binacional para garantir a construção dessa ponte e abrir outras frentes de desenvolvimento para o Estado. “Não podemos esconder a atuação dele, pois o Marun costuma levar até o fim tudo que se propõe. Faz uma diferença brutal sua participação, pois é uma coisa com ele e outra sem ele. Essa ponte pode ajudar na economia do Estado e ele é imprescindível nesse projeto”, garantiu.
A continuidade de Carlos Marun à frente do Conselho da Itaipu Binacional também mobiliza a OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul) e o presidente Mansour Elias Karmouche elogia a decisão do presidente Jair Bolsonaro. “O Marun, como profissional técnico, tem conhecimento suficiente para ocupar esse cargo, ele já representou Mato Grosso do Sul como ministro da Secretaria de Governo do Michel Temer e tem todas as qualidades para isso. Ele já demonstrou, quando ministro, que tem capacidade e competência para trazer recursos para o nosso Estado”, ressaltou.

Mansour Karmouche, presidente da OAB-MS complementa que Carlos Marun defende Mato Grosso do Sul e precisa do apoio das entidades representativas da sociedade civil para continuar à frente do Conselho. “Quanto mais pessoas do nosso estado nós tivermos ocupando espaço no poder decisório para trazer desenvolvimento para cá, mas teremos a crescer. Com o Carlos Marun, aliado aos ministros Tereza Cristina (Agricultura) e Mandetta (Saúde), o estado dará um salto de qualidade enorme”, projetou.

Assim como o conselheiro federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ary Raghiant Neto, também considera positiva a permanência de Carlos Marun à frente do Conselho da Itaipu Binacional. “É Mato Grosso do Sul exportando os seus valores, que são pessoas comprometidas com o Brasil. A permanência dele, que foi ratificada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ajuda com que Mato Grosso do Sul tenha esperança no sentido do avanço dessa obra. Ele é uma pessoa comprometida com as políticas públicas do Estado e nesse novo Governo que inicia já com dois ministros do nosso Estado e agora com Marun renova a nossa esperança no desenvolvimento estadual”, garantiu.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Moro ficará seis meses recebendo salário de ministro sem poder advogar
Política
Mais quatro cidades de MS podem ter calamidade pública reconhecida
Política
PL das Fake News será votada no Senado na próxima semana
Política
Reinaldo aceita “Desafio do Leite”
Política
Celso de Mello rejeita pedido para apreender celular de Bolsonaro
Política
Jair Bolsonaro é filiado ao PT após dados vazados pelos Anonymous
Polícia
Fábio Trad usa as redes para apoiar manifestações de torcidas contra Bolsonaro
Política
Moro responde Bolsonaro: Desejava rebelião armada contra medidas sanitárias
Política
"Prefeitura prorrogará toque de recolher", diz Marquinhos
Política
Bolsonaro pede para apoiadores não irem à protesto contra o governo dia 7

Mais Lidas

Política
Moro ficará seis meses recebendo salário de ministro sem poder advogar
Cidade
Famílias do "Linhão" começam a ser reassentadas
Saúde
Dourados é novo epicentro do coronavírus em MS, diz SES
Internacional
Soldados do Exército paraguaio estão na fronteira para barrar entrada de brasileiros