Menu
Busca quinta, 02 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Política

Vetos no Plano Diretor não mudam essência da proposta

O Plano Diretor, que foi construído com o objetivo de atender setores importantes da cidade, volta a ser analisado na Casa de Leis

03 dezembro 2018 - 09h22Da redação

O Plano Diretor da capital, que deve ser enviado nesta segunda-feira (3) para a Câmara Municipal, após o prefeito Marquinhos Trad e sua assessoria o terem analisado, não terá mudanças significativas.

Isso por que as emendas aprovadas pelos vereadores, não alteraram em nada, a essência do plano, construído por varias mãos, inclusive pelo Ministério Publico e pela população em dezenas de audiências públicas.

Um dos técnicos que participou da missão, de interpretar o Plano Diretor, e informar o prefeito, disse ao JD1 Notícias, que "não houveram mudanças no que interessa". Segundo essa voz, foram sugeridos vetos, em itens que não são atinentes ao Plano, como "criar o plano funerário municipal, que impõem lixeiras subterrâneas, e que tira 1% da receita da Águas Guariroba em favor do meio ambiente".

 O Plano deve seguir hoje para a Casa de Leis, e segundo apurado pelo JD1, há uma tendência dos vetos do prefeito serem mantidos em sua maioria. Os pontos polêmicos seguem inalterados. 

O Plano Diretor foi aprovado no dia 1º de novembro, e possui 156 emendas que foram elaboradas por uma Comissão Especial. A proposta  trata das normas para expansão e organização da cidade para os próximos 30 anos, no que se refere ao meio ambiente, urbanismo, sustentabilidade e uso e ocupação do solo. O prefeito teve o prazo de 15 dias para analisar  a proposta e devolver com eventuais vetos para serem apreciados novamente pelo Legislativo.

Polêmicas no decorrer de 2018

Desde março de 2018, o Plano Diretor vem sendo tema de avaliações do  Ministério Público Estadual e  audiências públicas na  Casa de Leis. A votação era prevista para o mês de maio, mas se estendeu ao longo do ano, sendo votado somente em novembro, devido a questões polêmicas como, por exemplo, o coeficiente único de construção. 

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, chegou a pedir mais celeridade no processo em outubro. “Por fim a esta questão, é retomar a movimentação na construção civil, que tanto gera emprego. É isso que está em jogo”, declarou. 

Apesar de o prazo final ter extrapolado o previsto, o presidente da Casa de Leis João Rocha disse em entrevista ao JD1, que os vereadores não receberam pressão de nenhuma forma.  “É com um bom diálogo que vamos produzir o melhor documento possível, estamos aqui juntos com os colegas das comissões para mostrar a transparência que esta Casa tem procurado agir”, afirmou. 

O Plano Diretor foi elaborado com em aspecto social, ambiental, setor imobiliário, políticas territoriais, econômicas e culturais. Foram implantados no Plano a questão da incorporação do Portal da Lagoa, redução dos vazios urbanos e coeficiente único para construção que deverá continuar a ter valor diferenciado em setores.

 

Totem_Alcool Gel

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
"Projeto das Fake News gera interesse em 30 países", diz Nelsinho
Política
Câmara da capital aprova orçamento público para 2021
Política
Congresso promulga emenda constitucional que adia eleições municipais
Política
“Iremos cassar alvará dos estabelecimentos que desobedecem ao Toque de Recolher”, diz Marquinhos
Política
Bolsonaro usa fotos “fakes” em campanha com mesmo nome de propaganda de Hugo Chávez
Política
Venezuela fará eleição para novo Parlamento em dezembro
Política
Congresso faz sessão para promulgar emenda que muda data da eleição
Política
Câmara aprova em 1º turno PEC que adia para novembro eleições municipais
Política
Coronel David comemora edital de curso de formação da Polícia Civil
Política
Câmara pode votar hoje proposta que adia eleições deste ano

Mais Lidas

Polícia
Comboio de 20 carros é apreendido transportando contrabando em MS
Saúde
Preocupante: mortes por coronavírus passam de 100 em MS
Política
"Projeto das Fake News gera interesse em 30 países", diz Nelsinho
Polícia
Com medidor sonoro, “festeiros” terão punições mais severas