Menu
Busca quinta, 05 de agosto de 2021
(67) 99647-9098
Governo - covid atitudes
Saúde

Covid: Anvisa autoriza uso emergencial de coquetel

Medicação deve ser usada no início dos sintomas da doença

13 maio 2021 - 15h15Matheus Rondon, com informações Agência Brasil

A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quinta-feira (13) o uso em caráter emergencial de um novo coquetel de anticorpos para o tratamento de pacientes com covid-19.

A área técnica e os diretores avaliaram que o uso combinado dos medicamentos Banlanivimabe e Etesevimabe, da empresa Eli Lilly do Brasil, para casos em estágios iniciais traz benefícios, ainda que permaneçam algumas incertezas.

Os anticorpos objetivam neutralizar o vírus antes que ele entre na célula. Conforme análise dos técnicos da agência, eles têm potencial de eficácia maior quando empregados conjuntamente do que no uso individual.

De acordo com as equipes de análise da agência, quando utilizados juntos, os dois medicamentos podem reduzir em até 70% a incidência da covid-19. Tal eficácia se daria em pacientes que ainda não tenham evoluído para quadro grave e tenham alto risco de progressão.

O termo “alto risco” envolve pessoas com condições de saúde como idade avançada, obesidade, doença cardiovascular, diabetes mellitus tipos 1 e 2, doença pulmonar crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica ou imunossuprimidos.

A orientação é que a aplicação seja feita em hospitais, em razão da estrutura disponível e dos profissionais que realizam o procedimento. A Anvisa não indicou o uso em pacientes com quadros graves, situações em que o coquetel pode agravar o problema. Os remédios não poderão ser comercializados.

O uso emergencial foi autorizado por 12 meses. O tempo de espera para uso do coquetel, após aberto, não pode ser superior a 24 horas em ambiente refrigerado e sete horas em temperatura ambiente.

“Durante a emergência de saúde pública, a autorização emergencial é instrumento regulatório para fomentar tempestivamente opções terapêuticas mesmo em face de um produto em desenvolvimento clínico”, declarou a diretora Meiruze Freitas.

“A partir dos dados apresentados, os benefícios conhecidos e potenciais dos medicamentos quando utilizados em uso emergencial superam os seus riscos”, complementou o também diretor Alex Campos.

Sennar - queimada

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Pessoas com 25 anos vacinam na quinta
Saúde
Pandemia aumenta casos de "Burnout"
Saúde
Covid: Estado recebe mais 45.630 doses da Pfizer
Saúde
Estudos de vacinação em massa já apresentam resultados positivos
Saúde
Covid: Vacinados com 2 doses têm menos risco de infecção pela Delta
Saúde
Especialista alerta sobre doenças respiratórias devido ao tempo seco
Vídeos
Vídeo: 75% terão segunda dose até o fim do mês, diz secretário
Saúde
MS ultrapassa 9 mil mortos por covid-19
Saúde
UPAs e CRSs atendem com 46 médicos durante o dia nesta terça-feira
Saúde
Mais de 800 mil doses de vacinas já foram aplicadas na capital

Mais Lidas

Internacional
Vídeo: ‘Vem de chicote, algema, corda de alpinista’, policiais são pegos transando em viatura
Internacional
‘A bonequinha não sabe brincar’, homem quebra pênis durante noite selvagem
Geral
Morre o advogado Marco Antônio na capital
Brasil
Vídeo: Amor de mãe? Casal homoafetivo tortura e mata menino de 7 anos