Menu
Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2024
Camara Maio24 - TV camara
Saúde

Prefeitura diz que mantém tratativas com o Hospital do Câncer

Além disso, o Executivo Municipal afirmou que não há pendências financeiras por parte do Município

23 fevereiro 2023 - 13h52Sarah Chaves

A Prefeitura de Campo Grande informou que mantém as tratativas com o Hospital de Câncer Alfredo Abrão, e com todos os prestadores de serviço para discutir "questões contratuais de ordem financeira", e a possibilidade de ampliação dos serviços contratualizados.

O corpo clínico do hospital iniciou a paralisação na quarta-feira (23), após ter dado prazo de 30 dias para o Governo do Estado e a Prefeitura sanarem as reinvindicações para regularização dos pagamentos e dos vínculos/contratos; regularização dos serviços de patologia e exames de imagens e seguimentos de tratamentos.

Ao JD1 Notícias, a Prefeitura alegou que não há nenhuma pendência financeira por parte do Município com o hospital. "As negociações estão em andamento para que seja mantido a integralidade dos atendimentos à população. Somente nos meses de janeiro e fevereiro foram repassados ao hospital R$ 5,3 milhões".

O financiamento dos serviços de saúde é tripartite, custeado pelo Governo Federal (Ministério da Saúde), Estado e Município. "Importante ressaltar ainda que a Prefeitura contratualiza somente os serviços com hospital e não possui vínculo empregatício com os funcionários. Desta forma, cabe ao hospital arcar com tais despesas, considerando que em nenhum momento houve atraso ou inadimplência quanto ao que é pactuado", informou a Prefeitura em nota.

O Hospital alega déficit financeiro geral acumulado de R$ 770 mil reais/mês. "Estas e outras questões pendentes para que os atendimentos do HCAA mantenham a regularidade dependem de verba emergencial e também o ajuste na contratualização na ordem de R$ 770.000,00/mês cujo estudo de revisão foi apresentado para às autoridades públicas da saúde tanto da Prefeitura como do Governo do Estado em janeiro e até o momento não foi atualizado".

Durante a paralisação estão sendo realizados somente os atendimentos de urgência e emergência realizados no PAM (*Pronto Atendimento do HCAA, 24H), as cirurgias de urgências e emergências, atendimentos de UTI e os tratamentos nos setores de quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia já em andamento. 

O JD1 também tentou contato com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), mas até o fechamento desta matéria não obteve retorno.

Reportar Erro
Assembleia - Maio24

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mortes estão acontecendo após enchentes no RS
Saúde
Rio Grande do Sul confirma mais duas mortes por leptospirose
Saúde e Bem-Estar trata sobre a reabilitação dos pés com ortopedista especialista
Saúde
Saúde e Bem-Estar trata sobre a reabilitação dos pés com ortopedista especialista
Vacinação nas escolas
Saúde
Projeto de vacinação nas escolas públicas vai à sanção presidencial
Teste de HIV em Campo Grande
Saúde
Campanha oferece voucher de R$ 50 para quem fizer teste de HIV na Capital
Durante o ano de 2024, o registro atinge 65 mortes até o momento
Saúde
Covid-19: MS registra 24 novos casos confirmados da doença, mas segue sem mortes
Síndromes gripais nas unidades de saúde da Capital
Saúde
Com 16 vítimas até agora, mortes por gripe 'tipo A' crescem na Capital
Complexo de Saúde do Aero Rancho -
Saúde
Prefeitura fecha contrato para reforma do Complexo de Saúde do Aero Rancho
UPA Coronel Antonino
Saúde
Plantão UPAs: Confira escala médica deste sábado em Campo Grande
Imagem Ilustrativa
Saúde
'Sangue LGBTQIA+ Salva Vidas': Hemosul funciona até as 17h neste sábado
Dr. Guilherme Bittner
Saúde
JD1TV: Mudanças climáticas podem causar problemas crônicos na pele, diz dermatologista

Mais Lidas

Amalha era corretora de imóveis
Polícia
Mulher encontrada morta no Porto Seco era corretora de imóveis
Frio em Mato Grosso do Sul
Clima
Mínima de 7°C: MS pode registrar 'o dia mais frio do ano' nos próximos dias
Carro da corretora é encontrado no Indubrasil
Polícia
JD1TV AGORA: Carro de corretora morta é encontrado no Indubrasil
Amalha trabalhava como corretora de imóveis
Polícia
Corretora assassinada iria encontrar 'ex-paquera' para cobrar dívida de R$ 20 mil