Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS outubro20
Brasil

CPI do Ecad aprova relatório que indicia 18 gestores do órgão

26 abril 2012 - 11h32Fabio Rodrigues Pozzebom / ABr

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou supostas irregularidades na atuação do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) aprovou nesta quinta-feira o relatório que pede o indiciamento de 18 pessoas e sugere mudanças estruturais no órgão. O texto aprovado aponta indícios de irregularidades como apropriação indébita de valores, fraude na realização de auditoria, formação de cartel e enriquecimento ilícito. O relatório foi elaborado pelo senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e, após aprovado, será levado ao Ministério Público, à Secretaria de Relações Institucionais e ao Ministério da Justiça.

O Ecad é considerado por alguns senadores como uma "caixa-preta". Os senadores criticam também o fato de o escritório ter o monopólio na cobrança dos direitos autorais e defendem a regulação da atividade pelo Estado. Segundo o relatório, a entidade arrecadou R$ 540 milhões em 2011 e repassou aos artistas apenas 76,2% do total, isto é, R$ 411 milhões.

"Por se tratar a gestão coletiva de monopólio legal, o Estado brasileiro tem o poder-dever de regular a atividade de fixação de preço, arrecadação e distribuição de direitos autorais. Essa é uma atividade precípua do Poder Legislativo, como depositário direto da soberania popular. A regulação desse monopólio legal deve visar abrir a caixa-preta do Ecad e assegurar transparência nos métodos da entidade", diz um trecho do relatório.

"O surgimento do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição dos Direitos Autorais (Ecad), em 1973, representou uma grande conquista dos autores brasileiros. Mas, em seus 40 anos de existência, o Ecad se degenerou. De órgão meramente executivo de arrecadação e distribuição, tornou-se uma instituição poderosa, que está a desafiar alguns princípios elementares do Estado Democrático de Direito", acrescenta outro trecho do texto.

O órgão tem registro de 3225 milhões de obras musicais, 1194 mil fonogramas e 536 mil titulares de música em seu cadastro, tornando o Ecad uma das maiores instituições de direitos autorais da América Latina.

"Dirigir o Ecad se tornou um negócio 'rentoso'. A entidade criou três modalidades de Plano de Participação nos Resultados (PPR), as quais beneficiam sobretudo os gerentes. O Ecad é uma associação civil que, em tese, não deveria dar lucros (nem, por óbvio distribui-los a seus diretores)", critica mais um trecho do texto do senador Lindbergh Farias.

Em nota distribuída à imprensa nesta manhã, o Ecad alega que a CPI "nada conseguiu provar nas investigações". "É preciso que fique claro que está em jogo é a luta pelo direito de receber o que os criadores entendem ser justo pelo uso de suas músicas", diz um trecho da nota. O Ecad ataca ainda as emissoras de televisão que, segundo eles, são as maiores inadimplentes junto ao órgão, com dívida total de mais de R$ 1 bilhão.

Sugestões de mudança
Os senadores aprovaram as propostas de mudanças sugeridas pelo relator da CPI, Lindbergh Farias. Uma das propostas é a elaboração de um projeto de lei que cria obrigações claras de transparência para a gestão coletiva "por se tratar de atividade que afeta número difuso de pessoas, tanto na sociedade quanto no segmento de artistas, produtores e titulares de direitos". A proposta seria para dar mais transparência ao órgão, chamado de "caixa-preta".

Nas frentes de regulação e fiscalização, o projeto prevê a manutenção de um escritório central, mas que seja subordinado ao Ministério da Justiça, como instância reguladora. Além disso, atribui ao mesmo ministério a prerrogativa de fiscalizar a gestão coletiva.

Para melhoria da eficiência, o texto propõe que artistas tenham direito a serem informados sobre seus direitos e créditos. Também sugere modernização do órgão "selecionando e homologando as entidades por ela responsáveis e prevenindo abusos, inclusive quanto ao arbitramento de preços".

Via Terra

CertFica

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Criador de 'bigodin finin, cabelin na régua' morre afogado no RJ
Brasil
AO VIVO: STF decide se ICMS do gás fica no MS
Brasil
Senador que morreu de coronavírus minimizava a doença
Brasil
Senador Arolde de Oliveira morre de coronavírus
Brasil
Filha de 9 anos flagra pai estuprando menina de 5 na lateral da casa
Brasil
Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello está com coronavírus
Brasil
Jorge, da dupla Jorge e Mateus, engravida melhor amiga da ex-mulher
Brasil
Mulher leva soco, esfaqueia marido e vai presa
Brasil
PF cumpre mandados por fraudes na Petrobras na Operação Lava Jato
Brasil
Pelo segundo ano consecutivo Brasil não terá horário de verão

Mais Lidas

Polícia
Idoso que atirou em cachorro leva multa em R$ 2 mil
Cultura
A Fazenda 2020: Jojo Todynho bebe demais, 'arranca roupa' e corre pela casa
Cultura
Som da Concha traz diversidade de shows neste final de semana
Polícia
Empresa de segurança avisa dono, que casa estava sendo furtada e um acaba preso