Menu
Busca sábado, 30 de maio de 2020
(67) 99647-9098
Cidade

Capital tem 14 áreas com alto risco de dengue

Levantamento aponta redução se comparado aos números do ano passado

22 janeiro 2019 - 16h16Da redação com informações da assessoria

O primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por aedes aegypti (LIRaa), do ano divulgado nesta terça-feira (22) pela Secretaria Municipal de Saúde, aponta uma redução na quantidade de áreas em situação de risco em comparação com o último levantamento de novembro do ano passado, no entanto mais de 50% delas permanecem em alerta, ou seja, com índice de infestação superior a 1%.

Segundo o levantamento,  14 áreas estão em estado de risco, 47 em alerta e apenas seis aparecem com índices considerados satisfatórios – abaixo ou igual a 1% de infestação. No LiRaa divulgado em novembro passado, 27 áreas estavam em estado de risco, 34 em alerta e oito com índices satisfatórios.

A área mais crítica era a UBSF Paradiso – que abrange os bairros Monte Castelo, Seminário e Vila Nossa Senhora das Graças –  que apresentou Índice de Infestação Predial (IPP) de 9%.  Conforme o levantamento divulgado hoje o índice caiu para 4.9%. Já a redução mais significativa foi registrada na área da UBSF Azaléia passando de 8.1% para 3% de infestação. As áreas das UBSFs Alves Pereira, Mata do Jacinto e Vila Fernanda que apareciam no ranking de infestação também  tiveram redução.

Atualmente a área considerada mais crítica é da UBSF Alves Pereira (7.3%), seguida da UBS Universitário (6.3%), UBSF Vida Nova (6.1%); Cruzeiro/Autonomista (6%), UBS Dona Neta (5.6%), UBSF Cidade Morena (5%), UBS Jockey Clube (4.5%) e Centro Amambai (4.5%).

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Vilela, destaca que as ações de combate à proliferação do mosquito estão sendo intensificadas nos bairros com maiores índices de infestação e dentro da rotina nas demais regiões. “Diariamente três viaturas do fumacê estão percorrendo esses bairros e paralelamente o trabalho de campo está sendo intensificado através das vistorias e orientações a cargo dos agentes de saúde”, pontua.

O link para download do levantamento completo de novembro de 2018 e de janeiro de 2019 estão disponíveis clicando nas respectivas datas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cidade
Coronavírus: Terminais recebem pias para higienização das mãos
Cidade
Abra portas e janelas: Oito bairros recebem fumacê nesta sexta
Cidade
Nova trecho de revitalização da 14 terá paisagismo e 76 novas árvores
Cidade
Marquinhos pode adiantar barreiras fixas nas entradas da capital
Cidade
AO VIVO - Veja o sorteio público de designação de moradias no Jardim Inápolis
Cidade
Amahsf faz sorteio de designação de apartamentos nesta sexta
Cidade
Nove bairros recebem o serviço de fumacê nesta quinta-feira
Cultura
UFMS estuda revitalizar Autocine
Cidade
Com asfalto e piscinão, recapeamento no Nova Lima entra na reta final
Cidade
Pandemia é o maior problema em MS, mostra pesquisa Ranking

Mais Lidas

Saúde
Capanha de vacinação contra a gripe é prorrogada até 30 de junho
Cidade
Coronavírus: Terminais recebem pias para higienização das mãos
Saúde
Quatro unidades de saúde atendem com pediatras na manhã deste sábado
Polícia
Homem é preso por esfaquear colega por vingança na antiga rodoviária