Menu
Busca domingo, 27 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Cidade

Greve dos ônibus não passa de boato, afirma João Rezende

De acordo com o presidente do Consórcio Guaicurus, reajuste dos salários será discutido no TRT

05 dezembro 2019 - 16h12Mauro Silva

O diretor-presidente do Consórcio Guaicurus, João Rezende, afirmou que não haverá greve nesta sexta-feira (6), ele foi categórico em dizer que paralização não passa de boatos, já que STTCU (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande) e a concessionária assinaram um acordo para que reajuste dos trabalhadores seja decidido em reunião no Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso do Sul. O documento para negociações foi protocolizado no Tribunal na manhã desta quinta-feira (5).

Rezende disse que os trabalhadores pedem um reajuste de 13%. “Oferecemos aumento de acordo com a inflação, mas estamos tentando negociar”, afirmou.

“Não haverá greve, a informação não passa de boatos, o consórcio assinou juntamente com o STTCU um documento para que o Tribunal do Trabalho intermedie as negociações para que tudo seja decidido com transparência”, acrescentou.

Ainda de acordo com o presidente da empresa responsável em gerir o transporte coletivo de Campo Grande, uma possível greve seria ilegal, pois ainda não se esgotaram as tratativas em relação ao aumento nos salários dos funcionários. João disse que a população não pode ser prejudicada com uma paralização que não tem embasamento jurídico.

“Estamos, através da imprensa, tranquilizando os usuários do transporte coletivo e esclarecendo que todos podem usar os ônibus na manhã desta sexta-feira, pois todos irão rodar normalmente”, disse Rezende.

Os rumores de greve iniciaram na última quarta-feira (4), logo após uma reunião entre os funcionários do transporte coletivo, sindicato da categoria e o Consórcio Guaicurus. Ao sair da reunião, os trabalhadores não concordavam com o resultado do encontro e ameaçaram uma manifestação para amanhã, mas o ato já foi descartado.

Aumento da tarifa

Em relação ao aumento na tarifa do transporte coletivo, João Rezende disse que não gostaria de associar o reajuste dos trabalhadores ao tema, pois ele explica que vários fatores incidem no preço da passagem de ônibus como a manutenção dos veículos, números de passageiros, inflação entre outros.

“Os valores são cumpridos de acordo com o contrato, e o reajuste na passagem é discutida sempre em outubro, porém no ano passado isso aconteceu em dezembro o que deve se repetir neste ano. Acredito que até a metade deste mês vamos nos reunir com a prefeitura para as tratativas”, explicou o presidente do Consórcio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cidade
Plano de emergência tenta evitar desabastecimento em Corumbá
Cidade
Procon Estadual autua seis agências bancarias na capital
Cidade
Prefeitura libera apresentação de artistas de outros estados, na capital
Cidade
Mais de 5 mil aulas para 1º CNH foram realizadas de forma online em MS
Cidade
Procon flagra irregularidades em revendedoras de gás de cozinha
Cidade
Sete mil mudas de árvores frutíferas serão entregues neste sábado
Cidade
Decreto permite aumentar o número de passageiros em pé dentro dos ônibus
Cidade
Evite filas: INSS oferece serviço expresso para entrega de documentação
Cidade
Golpistas se passam por arquitetos na capital
Cidade
Parque das Nações deve reabrir dia 9 de outubro

Mais Lidas

Geral
Motorista morre ao cair em barranco próximo a ponte do grego
Polícia
"Vocês não sabem com quem estão mexendo", diz militar do exercito ao ser preso
Polícia
Assaltante é descoberto e espancado por populares
Geral
Empresário morre após perder controle do carro na MS-276 e colidir contra uma árvore