Menu
Busca quarta, 03 de março de 2021
(67) 99647-9098
Governo - campanha estado que cresce - Topo
Cidade

"Quem tomou Coronavac não deve tomar a vacina de Oxford", diz presidente de comissão na Câmara

A vacinação com o imunizante indiano será apenas para profissionais da saúde, reforçou o vereador Dr. Sandro Benite

25 janeiro 2021 - 13h13Sarah Chaves

A Comissão para acompanhar a compra de vacinas com eficácia comprovada contra o novo coronavírus se reuniu na manhã desta segunda-feira (25) para discutir a chegada das novas doses desta vez da vacina indiana.

Ao JD1 Notícias, o presidente da comissão, vereador Dr. Sandro Benites, disse que a Secretaria de Saúde vai obedecer o Programa Nacional de Imunização  (PNI) na aplicação das doses de vacinas da da AstraZeneca/Oxford. “Vamos dar prioridade para os profissionais de hospital que estão na linha de frente da Covid-19, inclusive aqueles que não foram contemplados, como alguns profissionais do Centro De Especialidades Médicas (CEM), serão contemplados agora também”, exemplificou.

Dessa vez, a vacina será estritamente para os profissionais da saúde, com prioridade para os profissionais mais velhos. “Até porque se algum de nós aqui ficar doente, a pessoa que vai cuidar da gente tem que estar bem”, declarou o vereador dizendo que a vacinação com a vacina de Oxford pode começar hoje mesmo nos hospitais, principalmente no Hospital Regional, Santa Casa e Hospital Universitário.

Dr. Sandro deixa claro que a vacinação com os imunizantes da Índia será apenas para quem não recebeu a vacina da Coronavac, imunizante da farmacêutica chinesa, Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. “Quem recebeu Coronavac não vai e não deve receber a de Oxford, são vacinas com mecanismos diferentes, quem recebeu Coronavac vai aguardar a segunda dose da Coronavac, quem receber a de Oxford vai ter que esperar segunda dose da Oxford”, esclareceu apontando que diferente da vacina anterior a da AstraZeneca tem um intervalo de 3 meses para a necessidade da segunda dose.

“A segunda dose da Coronavac é de duas a quatro semanas, a de Oxford da 70% de imunidade já na primeira dose, enquanto a Coronavac é de 50% dando as duas doses, essa vacina parece ser mais efetiva”, afirmou. A Coronavac tem 100% de eficácia somente nos casos graves.

 

 

Peniel - amigos da pizza

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cidade
COVID: de olho em 375 mil vacinas, Marquinhos mantém lockdown descartado
Cidade
Após 6 meses, prefeitura deve liberar trecho da Ernesto Geisel até quarta-feira
Cidade
Oportunidade: Prazo para inscrições do concurso da guarda é prorrogado
Cidade
Capital recebe título mundial pela preservação das florestas urbanas
Cidade
Cadastro para sorteio de 150 apartamentos no Jardim Canguru encerra na segunda-feira
Cidade
Marquinhos entrega R$ 70 mil do 9° sorteio da Nota Premiada
Cidade
Campo Grande tem o menor nível de endividamento desde abril de 2020
Cidade
Câmara explica que uso de traje formal não é necessário para visitantes
Cidade
Candidatos aptos dos residenciais Aero Rancho CH7 e CH8 são convocados
Cidade
Notificações de dengue tem redução de mais de 97% na capital

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio