Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Governo dengue 02 - Atitude
Economia

Após anunciar prorrogação do Auxílio, Bolsonaro fala em harmonia entre Poderes

Presidente tem adotado nas últimas duas semanas um tom mais ameno em relação as críticas ao Congresso e STF

30 junho 2020 - 16h55Flávio Veras

Nas últimas duas semanas o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vem adotando um tom mais ameno com relação as instituições do Estado Democrático de Direitos, como Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso Nacional (Câmara e Senado). Nesta terça-feira (30), durante o anúncio da prorrogação por mais dois meses do Auxílio Emergencial, o presidente adotou novamente um apaziguador.

Durante a fala, após assinar o documento garantindo o benefício, o presidente enalteceu a presença do presidente Câmara dos Deputados, deputado Rodrigo Maia (DEM), e do presidente do Senado Federal, David Alcolumbre (DEM), e falou que a harmonia entre os Poderes da República devem prevalecer neste momento de pandemia do novo coronavírus.

“Gostaria de agradecer aos presidentes, pois demonstram que estão interessados no interesse do país. Eu ando pela periferia de Brasília e cidades satélites, não para desobedecer a ninguém, mas para saber a necessidade do povo mais carente. Eles representam os sentimentos de milhões de brasileiros que estão passando por necessidade agora. Quero convidar os dois presidentes que vá comigo na próxima viagem, por várias paramos em algum vilarejo para ver como os moradores estão.

E complementou dizendo que “a simplicidade desse povo é que nos faz lutar um pouco mais. Eu perguntei a eles sobre o auxílio, e pelo menos metade falou que havia recebido. Esse fato só foi possível graças ao Ministro Paulo Gudes e ao Congresso, que votou de forma rápida para que esse dinheiro chegasse lá na ponta”.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou nesta terça-feira (30) a prorrogação do auxílio emergencial, destinado a trabalhadores informais e beneficiários do Bolsa Família.

Segundo Guedes, a proposta é que sejam pagas mais quatro parcelas em dois meses, que somarão R$ 600 por mês, totalizando R$ 1,2 mil.

O pagamento deverá ser feito da seguinte maneira, segundo o ministro:

R$ 500 no início do mês;

R$ 100 no fim do mês;

R$ 300 no início do mês;

R$ 300 no fim do mês.

O anúncio foi feito em uma cerimônia no Palácio do Planalto. Na cerimônia, Bolsonaro assinou um decreto sobre a prorrogação do pagamento.

Após o evento, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse que o cronograma de pagamento das novas parcelas ainda será divulgado. Segundo ele, o calendário está pronto, mas falta autorização do ministro Paulo Guedes para anunciar.

PMCG Refis

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Novo Toque de Recolher muda funcionamento dos shoppings de CG
Economia
Valor do leite sofre reajuste de 18% em MS durante a pandemia
Economia
230 mil empresários receberam indevidamente o auxílio de R$600, aponta TCU
Economia
Junho tem o maior volume de vendas do ano, diz Receita Federal
Economia
BNDES disponibiliza R$5 bi para micro, pequenas e médias empresas
Economia
Fiems e Banco do Brasil anunciam linha de crédito emergencial para empresários
Economia
Procon encontra variações de até 897% nos preços de produtos de inverno
Economia
Produção de petróleo em maio caiu devido pandemia
Economia
AO VIVO - Entidades orientam empresário a obter empréstimos de emergência
Economia
Crédito emergencial para empresas será anunciado nesta quarta

Mais Lidas

Geral
Jovem morre após ser atingido na cabeça por peça de 20kg
Acidente aconteceu em um armazém de grão na cidade de Rio Brilhante
Política
Simone e Nelsinho avaliam como positiva escolha do novo ministro da Educação
Esportes
Botafogo de Ribeirão vê ilegalidade na volta do Campeonato Paulista
Geral
Sindicato do Detran alerta: terceirização vai encarecer vistorias