Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS setembro20
Economia

Mantega: choques de preços e câmbio impediram queda da inflação nos últimos anos

07 maio 2014 - 10h23Via Agência Brasil
Os choques de preços nas commodities – bens agrícolas e minerais com cotação internacional – e a desvalorização do real impediram a queda da inflação para o centro da meta, de 4,5%, nos últimos anos, disse ontem (06) o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Em entrevista ao programa Espaço Público, da TV Brasil, ele admitiu contratempos em relação à trajetória dos índices de preços, mas reafirmou o compromisso com o controle da inflação e a autonomia do Banco Central (BC).

“Eu também gostaria de trabalhar com uma meta menor de inflação, mas vamos ser realistas. Nos últimos anos, temos tido pressões inflacionárias. Se, daqui para a frente, não houver mais desvalorização do real, teremos pressão inflacionária menor. Aí, poderemos tomar a tarefa de desindexação da economia”, declarou o ministro.

Segundo Mantega, nos últimos três anos, o planeta enfrentou choques nos preços das commodities provocados por secas nos Estados Unidos, na China e na Índia. Além disso, o real se desvalorizou 35% nos últimos dois anos.

Em resposta à pergunta da diarista Maria do Socorro Santos, que reclamou da alta nos preços dos alimentos nos últimos meses, o ministro se disse otimista em relação à inflação desses produtos. De acordo com Mantega, os preços dos alimentos cairão nos próximos meses até atingirem um “patamar mais tranquilo” em junho. Ele também citou o aumento da renda da população para tranquilizar a diarista.

“Em alguns anos, a inflação aumenta mais e aumenta menos. Mas certamente o trabalhador ganha mais do que há oito, dez anos. Os salários das diaristas estão num nível maior por causa do programa de desenvolvimento que implementamos no país, que criou empregos e elevou o padrão de vida”, declarou.

Perguntado pela repórter Leandra Peres, do jornal Valor Econômico, sobre possíveis interferências políticas no Banco Central, o ministro assegurou o compromisso do governo com a autonomia da autoridade monetária. “Uma autonomia do Banco Central é importante para que ele possa fazer as maldades necessárias em momentos de inflação mais alta, sem interferência”, afirmou. Segundo Mantega, o fato de o Banco Central ter aumentado a taxa Selic (juros básicos da economia) em 3,75 pontos percentuais em ano eleitoral mostra o empenho no controle da inflação.

Apesar dos aumentos de juros, o ministro garantiu que o desemprego continuará baixo e que o impacto da política monetária sobre a produção é temporário. “Temos apoiado o Banco Central na condução da política econômica. Não podemos e não estamos brincando com a inflação. A alta dos juros prejudica momentaneamente o crescimento, mas, assim que a inflação cai, crescemos mais lá na frente”, argumentou.

Em resposta ao operário João Batista de Oliveira, que manifestou pessimismo em relação às perspectivas de emprego na construção civil, Mantega disse que o trabalhador será disputado nos próximos anos. Na avaliação do ministro, a construção civil continuará aquecida por causa do programa de concessões de projetos de infraestrutura, que movimentarão R$ 500 milhões nos próximos anos, e do Programa Minha Casa, Minha Vida, que terá uma terceira fase anunciada em breve pela presidenta Dilma Rousseff.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Beneficiários do Bolsa Família recebem hoje parcela de R$ 300 do auxílio
Economia
Vídeo mostra protesto em Pedro Juan
Economia
FGTS está na conta dos trabalhadores nascidos em dezembro
Economia
Nascidos em julho recebem auxílio hoje e poderão sacar em outubro
Economia
Brasil e Paraguai assinam acordo para reabrir a fronteira
Economia
Pagamentos do Ciclo 1 do auxílio emergencial estão concluídos
Economia
Sidrolândia ganha unidade produtora de leitões que vai gerar 100 empregos
Economia
Caixa paga auxílio para 3,9 mi de beneficiários hoje; veja quem recebe
Economia
Comércio na fronteira terá liberação "meia boca"
Economia
Caixa paga abono salarial nesta segunda; veja quem recebe

Mais Lidas

Cidade
Confira o itinerário do carro de fumacê nos bairros para esta quinta-feira
Educação
Defensoria debate aulas presenciais, nas escolas públicas, nesta sexta
Política
Aprovação de Bolsonaro sobe para 40%, diz CNI/Ibope
Brasil
VÍDEO: Mulher é agredida com pedrada na cabeça e arrastada pela calçada