Menu
Busca domingo, 20 de outubro de 2019
(67) 99647-9098
Governo vitimas
Educação

Ministro da Educação diz que "acabou o risco de não ter Enem"

Provas já foram todas impressas e metade delas, já remetidas aos locais de aplicação

10 outubro 2019 - 12h55Vitória Ribeiro, com informações Agência Brasil

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 foram todas impressas e metade delas já foi remetida aos locais de aplicação. “Acabou o risco de não ter Enem”, enfatizou o ministro da Educação, Abraham Weintraub. O Enem 2019 será realizado nos dias 3 e 10 de novembro, em 1.727 municípios brasileiros. Mais de 5 milhões de pessoas farão o exame em 14 mil locais de aplicação de provas.

Ao todo, foram impressas 10,3 milhões de provas. A primeira remessa, de 408 mil provas, foi enviada no dia 3 de outubro, para locais de difícil acesso do Pará e Bahia. Outros malotes seguiram para Rondônia, Piauí, Pernambuco e Mato Grosso. Os materiais estavam sob a guarda do 4º Batalhão de Infantaria Leve do Exército Brasilieiro, em Osasco (SP). 

Em café da manhã com jornalistas, na manhã desta quinta (10), o ministro ressaltou que apesar dos problemas enfrentados com a gráfica neste ano, o cronograma está sendo seguido e a prova está garantida. “Não teve problema nenhum com a gráfica”, ressaltou Weintraub. 

No início deste ano, a empresa RR Donnelley, que era detentora do contrato para a impressão do Enem, decretou falência. O Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou, em abril, a contratação de nova gráfica. Foi escolhida a Valid S.A., garantindo a impressão das provas. A Valid era a gráfica seguinte na ordem de classificação na licitação realizada em 2016.

Neste ano, a contratação da segunda colocada foi autorizada pelo TCU para que a prova pudesse ser impressa a tempo, segundo o ministro. Para 2020, será feita uma nova licitação. O processo para a elaboração de novo edital está em andamento, segundo o Inep.

A prova deste ano será focada em questões que avaliem objetivamente o aprendizado dos estudantes, segundo o presidente do Inep, Alexandre Ribeiro Lopes. “A prova foi produzida da mesma forma dos anos anteriores. O que houve foi uma orientação para que [as questões] focassem na aprendizagem”, diz.

Após polêmica envolvendo questões do Enem no ano passado, o Inep criou, no início deste ano, um grupo responsável por "identificar abordagens controversas com teor ofensivo a segmentos e grupos sociais, símbolos, tradições e costumes nacionais" e, com base nessa análise, recomendar que tais itens não fossem usados na montagem do Enem 2019. Lopes afirmou que nem ele nem o ministro tiveram acesso às provas que serão aplicadas em novembro. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Educação
Novas estruturas da UEMS de Mundo Novo serão inauguradas nesta sexta
Educação
Conheça as principais sugestões de temas da redação do Enem 2019
Educação
Lei levará material educativo e palestras sobre abuso sexual em escolas
Educação
Inep divulga os locais de provas do Enem
Educação
Locais de provas do Enem serão confirmados nesta quarta
Educação
Oposição vence eleição no IFMS
Educação
MEC abrirá 1,5 milhões de vagas em educação profissional até 2023
Educação
Folha coloca UFMS como a melhor universidade do estado
Educação
MEC divulga dados preliminares do Censo Escolar 2019
Educação
Trabalhadores da educação realizam mobilizações em todo estado

Mais Lidas

Geral
Violeiro Ivo de Souza morre em acidente na BR-163
Brasil
Três militares do Corpo de Bombeiros morreram enquanto tentavam combater incêndio
Esportes
Na capital, Muricy crava Flamengo como campeão do Brasileirão
Polícia
Comerciante é executado na fronteira