Menu
Busca quinta, 16 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS setembro21
Esportes

'Domésticos' crescem, mas time titular do Brasil é dominado por 'europeus'

13 junho 2013 - 13h41Via Uol
A seleção brasileira convocada para a Copa das Confederações chamou a atenção por apresentar 11 jogadores atuando no Brasil na lista de 23, o maior número do país para uma competição oficial da Fifa (Federação Internacional de Futebol) desde o Mundial de 2002. No entanto, essa proporcionalidade não está se refletindo no time titular. Levando-se em conta que Luiz Felipe Scolari pretende repetir na estreia contra o Japão, sábado, o mesmo time que entrou em campo contra a França, "europeus" ocuparão nove das 11 posições disponíves.

Apenas Paulinho e Fred fogem à regra, ainda que Neymar tenha sido convocado como atleta do Santos e vendido para o Barcelona às vésperas de se apresentar. Um quadro similar ao de quatro anos atrás, quando o time comandado por Dunga tinha apenas o lateral Kleber, então no Internacional, como "doméstico" ao se alinhar para o hino nacional na estreia na Copa das Confederações da África do Sul, contra o Egito.

A proporção geral do grupo promete ser ainda mais alterada com as negociações em curso envolvendo jogadores baseados no Brasil. O meia Fernando está praticamente vendido ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, ao passo que o atacante Bernard interessa ao Tottenham, da Inglaterra, e a o Borussia Dortmund, da Alemanha. É interessante também notar que Oscar chegou à seleção no ano passado ainda como jogador do Internacional, mas em pouco mais de um mês foi arrebatado pelo Chelsea, da Inglaterra.

Na Copa das Confederações de 2009, disputada antes da intensificação do retorno de jogadores "estrangeiros" para clubes brasileiros, os 23 de Dunga tinham uma proporção maior de jogadores baseados na Europa, com 16. Entre os titulares o número cresceu para apenas dois entre a estreia e a final (André Santos e Ramires, então em Corinthians e Cruzeiro).

Felipão, porém, tem um histórico de abrir oportunidades para jogadores nacionais.  No grupo que levou ao Mundial de 2002, 13 dos 23 jogadores estavam em clubes brasileiros. Mês passado, quando convocou o grupo para a Copa das Confederações, Felipão minimizou as proporções da convocação. "Temos jogadores bons, uns atuando aqui outros lá fora", disse o treinador.

O curioso é que o coordenador-técnico Carlos Alberto Parreira é um entusiasta dos "estrangeiros", gosto que exerceu durante sua última passagem pela seleção, entre 2003 e 2006, com exceção de um experimento com 14 "domésticos" na Copa das Confederações de 2003 e que resultou numa eliminação na primeira fase.

O ex-treinador disse considerar que a ida para grandes clubes europeus era benéfica para a seleção, pois a melhor estrutura na Europa daria condições superiores de desenvolvimento para os atletas. Foi assim com Kaká há 10 anos e assim também com Neymar. "A ida dele (Neymar) para o Barcelona será benéfica. Ele vai crescer como profissional, vai aprender a jogar taticamente de uma forma mais rígida e coletivamente também", comentou Parreira recentemente ao avaliar a transferência do ex-santista.

Na atual seleção, será bem mais difícil ver grandes alterações no domínio estrangeiro, já que a maioria das posições têm jogadores baseados na Europa como reservas imediatos. Fernando, utilizado por Scolari em várias partidas, é uma exceção, mas o iminente acerto com os ucranianos jogaria contra. Bernard, por exemplo, embora seja uma promessa já observada por clubes estrangeiros, tem Hulk, Neymar e Lucas à frente na hierarquia da seleção.

"Nada vai cair do céu, tem que correr atrás. O futebol europeu e as seleções têm uma dinâmica diferente, é mais rápido e tem mais entrega tática. Tento absorver para estar preparado quando tiver oportunidade".

Em mundiais, a última vez em que a seleção brasileira teve um time titular dominado pelos "domésticos" foi em 1986, no México, quando apenas Edinho e Júnior estavam baseados no exterior.
Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Atletas da capital vão representar MS em Campeonato Jiu-Jitsu
Esportes
Yeltsin Jaques "fez história na Paralimpíadas de Tóquio", diz Rose Modesto
Esportes
Yeltsin Jacques é recepcionado pelo Corpo de Bombeiros no Aeroporto nesta terça-feira
Esportes
Tóquio 2020: Cerimônia de encerramento encanta com a beleza da diversidade
Esportes
Anvisa paralisa jogo Brasil x Argentina e jogadores poderão ser deportados
Esportes
Campeonato Brasileiro de Handebol acontece de 03 a 07 de setembro em MS
Esportes
MS recebe Campeonato Brasileiro de Handebol neste fim de semana e feriado
Esportes
Primeiro ouro de parataekwondo da história vai para brasileiro
Esportes
Brasil enfrenta Chile pelas Eliminatórias da Copa do Catar
Esportes
Yeltsin Jacques quebra recorde e conquista o 100º ouro do Brasil em Paralimpíadas

Mais Lidas

Polícia
Corpo é encontrado esquartejado em sacos de lixo
Geral
Ao vivo: Bebê transmite mãe tomando banho no Facebook
Polícia
Jovem é presa por morder enfermeira na UPA do Coronel Antonino
Polícia
Mulher agredida com barra de ferro em espetinho no Aero Rancho contesta versão dada pelo dono