Menu
Busca segunda, 27 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
Gov - Estado que Cresce (set21)
Esportes

Um ano após anunciar Pato, Corinthians vive realidade bem diferente

03 janeiro 2014 - 11h43Via Uol
Há exatamente um ano, no dia 3 de janeiro de 2013, o Corinthians anunciou a bombástica contratação de Alexandre Pato. Por cerca de R$ 40 milhões, o clube adquiriu 100% dos direitos econômicos do atacante, que então defendia o Milan, da Itália. Para 2014, a realidade do clube alvinegro é bem diferente.

O camisa 7 foi a segunda maior contratação da história do futebol brasileiro – a maior foi a de Carlos Teves, também do Corinthians, mas com polpuda ajuda de investidores – mas, dentro de campo, recebeu críticas da torcida, mesmo sendo vice-artilheiro da equipe na temporada, com 17 gols.

No embalo da conquista do Mundial de Clubes, o alvinegro ainda foi além: ainda em dezembro de 2012, contratou o meia Renato Augusto, do Bayern Leverkusen, por cerca de R$ 11 milhões; em janeiro, depois de Pato, trouxe o zagueiro Gil, do Valenciennes, por cerca de R$ 9,5 milhões.

Tomando como base a movimentação corintiana neste começo de 2014, a prosperidade do ano passado não deve se repetir. O único reforço que deve estar presente na representação da equipe na próxima semana é o lateral esquerdo Uendel, ex-Ponte Preta. Nos bastidores, a diretoria corre atrás de reforços, mas encontra dificuldades.

Nas últimas semanas, o Corinthians demonstrou interesse em vários atletas, como o volante Elias, com boa passagem no Parque São Jorge; Marcelo, revelação do Brasileirão pelo Atlético-PR, e Jucilei, que atualmente defende o Anzhi, da Rússia. Em todas as ocasiões, os valores envolvidos nas negociações assustaram a cúpula do clube.

Nem mesmo a venda de Paulinho para o Tottenham, que rendeu aos cofres corintianos cerca de R$ 26 milhões, serviu para permitir altos investimentos em contratações para 2014. A saída do volante deixou um vácuo no meio de campo da equipe.

A diminuição nos recursos disponíveis pode ser explicada por alguns fatores. O mau desempenho na temporada e a ausência na Libertadores em 2014 contribui bastante. A demora na liberação dos recursos para o Itaquerão também colocou sobre o clube um peso extra, na forma de juros dos empréstimos tomados para manter as obras em andamento. O acidente no estádio também fará com que o empreendimento leve mais alguns meses para começar a dar o retorno esperado.

Com a aposentaria do lateral direito Alessandro, a dificuldade em encontrar o substituto ideal para Paulinho e o mau desempenho do ataque em 2013 – foram 82 gols, contra 107 no ano anterior – o novo treinador Mano Menezes terá o desafio de encontrar no mercado opções que se ajustem à nova realidade do clube. Seu trabalho começa na próxima segunda-feira, quando o elenco se reapresenta no CT Joaquim Grava.
Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Atleta de MS representará o Brasil nos jogos Pan-Americanos Junior
Esportes
Público aos estádios a partir de outubro em São Paulo
Esportes
Medalhista paralímpico Phelipe Rodrigues velejará para ajudar em ação solidária
Esportes
Tite convoca seleção brasileira para jogos eliminatórios do Catar 2022
Esportes
Dardistas de MS são convocados para os Sul-Americanos Sub-18 e Sub-23 de Atletismo
Esportes
Marta passa Pelé na artilharia da Seleção
Esportes
Atletas da capital vão representar MS em Campeonato Jiu-Jitsu
Esportes
Yeltsin Jaques "fez história na Paralimpíadas de Tóquio", diz Rose Modesto
Esportes
Yeltsin Jacques é recepcionado pelo Corpo de Bombeiros no Aeroporto nesta terça-feira
Esportes
Tóquio 2020: Cerimônia de encerramento encanta com a beleza da diversidade

Mais Lidas

Cidade
Incêndio atinge margens do rio Paraguai em Corumbá
Clima
Tempestade faz temperatura despencar 15 graus e destelha apartamento em Campo Grande
Polícia
Mulher é agredido e esfaqueia pênis de marido
Polícia
Homem é assassinado a tiros por dívida de R$ 100,00