Menu
Busca segunda, 06 de fevereiro de 2023
(67) 99647-9098
Geral

10 anos após matar marido, Elize Matsunaga escreve livro para filha

Condenada a 19 anos de prisão, Elize pretende contar à filha sua vida e por que matou Matsunaga

19 maio 2022 - 15h53Brenda Leitte, com G1 Notícias
Sebrae Materia

Dez anos após matar e esquartejar o marido, Elize Matsunaga quer publicar o livro autobiográfico "Piquenique no Inferno", que escreveu à mão na prisão, para pedir perdão à filha, que está impedida de ver desde 2012. Ela quer contar à garota que cometeu sozinha o crime contra o pai dela, Marcos Matsunaga, para se proteger das ofensas e agressões do marido.

A expectativa dela é de que a menina, atualmente com 11 anos, possa ler a obra um dia, quando estiver adulta, e conhecer a versão da mãe para o que aconteceu: desde sua origem humilde até os relatos de ter sido vítima de violência sexual na adolescência e doméstica quando se casou.

Por decisão da Justiça, a guarda da filha está com os avós paternos, que proíbem o contato da criança com a mãe.

O crime foi cometido em 19 de maio de 2012 no apartamento do casal, na Zona Oeste de São Paulo, e teve repercussão na imprensa por envolver uma bacharel de direito casada com um empresário herdeiro da indústrias de alimentos Yoki. Ele tinha 42 anos à época; ela, 30.

“Minha amada [filha], não sei quando você lerá essa carta ou se um dia isso irá acontecer. Sei o quão complicada é nossa história, mas o que eu escrevo aqui não se apagará tão fácil”, escreve Elize, atualmente com 40 anos, numa carta incluída na obra.

Segundo g1, que teve acesso com exclusividade a trechos das 178 páginas do livro, no manuscrito, feito num caderno com o desenho de crianças na frente de uma escola, ela conta sua vida antes, durante e depois de ter sido presa e julgada pelo crime.

Essa versão de Elize para o crime já era conhecida da polícia e da Justiça, mas é a primeira vez que ela mesma decide transformar o relato em um livro. As informações chegaram até a ser usadas por sua defesa no seu julgamento para sensibilizar os jurados. Numa das passagens, por exemplo, a bacharel conta ter sido estuprada pelo padrasto quando tinha 15 anos.

“Quando a penetrava, Elize sentia uma dor cortante com a sensação quente de seu sangue e a reação inútil de seu corpo. Cedeu sua virgindade à violência”, escreve.

Relembre o caso.

Sebrae Materia

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Governo divulga lista de alimentos que podem ser doados aos Yanomami
Geral
Brasil bateu recorde de geração de energia renovável em 2022
Geral
JD1TV: Motorista suja casa alheia após "brincar" com caminhonete no Jardim Auxiliadora
Geral
Janine amanhã às 9h no JD1
Geral
É a hora! Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 160 milhões
Geral
Em pesquisa nacional, MS tem a 4ª melhor infraestrutura do País
Geral
Governo envia nova comitiva para prestar socorro à indígenas Yanomami
Geral
Já apostou? Mega-Sena sorteia R$ 135 milhões neste sábado
Geral
Mutirão da CNH Social acontece hoje no Pátio Central Shopping
Geral
Você e seus amigos na área Vip: JD1 sorteia ingressos para o Campo Grande Musik

Mais Lidas

Polícia
JD1TV: Corpo é queimado em meio ao lixo no Santa Emília
Polícia
Queimado no Santa Emília foi "embrulhado" em sofá para ser carbonizado
Polícia
Jovem é esfaqueado e tem vísceras expostas no Itamaracá
Polícia
Esfaqueamento no Jardim Itamaracá foi motivado por ventilador roubado