Menu
Busca quarta, 24 de julho de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Com produção diária de 900 pães, Projeto Padaria já qualificou quase 200 reeducandos em Corumbá

25 abril 2012 - 10h45Divulgação / Agepen

Iniciado no segundo semestre de 2006 no Estabelecimento Penal de Corumbá (EPC), o Projeto Padaria tem representado uma forma de qualificação profissional constante aos reeducandos. Em seus quase seis anos de existência, a iniciativa já capacitou cerca de 200 internos em áreas como panificação, confeitaria e produção de salgados.

No EPC, o projeto começou por meio de convênio entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) – que custeou a compra dos equipamentos, os materiais e instrutores nas primeiras turmas. Na época, 90 custodiados foram qualificados.

No entanto, conforme o próprio convênio previa, foi necessário que os trabalhos tivessem continuidade, e o meio encontrado pela direção da unidade penal foi o financiamento dos cursos pela empresa terceirizada responsável por oferecer alimentação aos reclusos.

Segundo a psicóloga Zuleida Marcelina Zamaniego, uma das responsáveis pelo projeto no presídio, a realização da qualificação é constante como uma forma de preparar mão de obra prisional para atuar na padaria do próprio estabelecimento penal, e ainda representar uma forma de capacitá-los profissionalmente para uma vaga no mercado de trabalho quando deixarem a prisão.

“Ao término de cada curso, os internos que demonstram maior habilidade e interesse, conforme a necessidade, são inseridos no Setor da Padaria para desempenhar as atividades rotineiras, serviço que poderão adotar como profissão quando progredirem de regime ou estiverem em liberdade”, explica a psicóloga.

Durante as capacitações oferecidas, são repassados conhecimentos teóricos e práticos sobre manuseio dos equipamentos e instrumentos de trabalho, e receitas para a confecção de pães, bolos, biscoitos e salgados. A última turma de alunos do EPC (fotos) foi capacitada no mês passado, com a participação de dez reeducandos. O curso teve carga horária de 80 horas/aula.

De acordo com o diretor do EPC em substituição, Gerson do Carmo Carvalho, atualmente a produção média diária da padaria do presídio é de 900 pães, distribuídos não só no local, como também nos demais estabelecimentos prisionais da Agepen em Corumbá.

Via Notícias MS

Roberto Carlos

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Guarda Municipal faz alerta sobre riscos do uso de cerol nas pipas
Geral
ABO-MS: Nova clínica é sinônimo de modernidade
Geral
Escola Virgílio Alves arrecada mais de 10 mil agasalhos e ganha reforma
Geral
Encontro inédito de transportadoras de MS reúne mais de 20 empresas do setor
Geral
Procon-MS autua Lojas Americanas por divergência de preços
Geral
Tailândia quer investir no ecoturismo e agronegócio de MS
Geral
Pré-contrato de compra da UFN3 deverá ser assinado em agosto
Geral
CAU-MS faz nota contra PEC que extingue conselhos
Geral
Incêndio florestal fere 32 pessoas
Geral
PDV pode custar R$ 9 milhões ao estado

Mais Lidas

Polícia
Adolescente morre depois de ficar com pescoço preso em janela
Polícia
Pai arrecada R$ 1 mi para tratamento do filho e foge com valor
Polícia
Homem comete suicídio depois de tentar matar ex-mulher
Cultura
Marcos e Belluti abrem o Festival do Sobá, em Campo Grande