Menu
Busca sábado, 19 de junho de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - Junho21
Geral

Em audiência, Energisa diz "que não houve aumento de tarifa e sim de consumo"

Explicações da Energisa “foram péssimas, porque na verdade, não explicaram nada", diz Valdir Gomes

20 fevereiro 2019 - 18h49Marcos Tenório

Deputados estaduais e vereadores de 54 municípios de Mato Grosso do Sul e da capital, se reuniram hoje em audiência pública na Câmara Municipal de Campo Grande, para discutir o aumento nas contas de energia de todo o estado. O diretor técnico comercial da Energisa, Paulo Roberto dos Santos, também participou da audiência e ainda afirmou que o que houve foi aumento no consumo de energia.

Os vereadores reclamam que a população tem ido às Câmaras pedir explicações acerca do aumento, já que as contas em janeiro quase duplicaram de valor.

O vereador de Campo Grande, Valdir Gomes (PP), disse ao JD1 Notícias que a conta de energia da sua  residência teve aumento de mil reais de um mês para o outro, ele relatou ainda que as cobranças vêm tão pequenas nas contas que não dá pra ver. E só o imposto da fatura de energia dele veio R$ 717 e a Energisa não sabe dizer o que é, disse.  Valdir disse que as explicações da ditas pela Energisa “foram péssimas, porque na verdade não explicaram nada, eles vêm com o mesmo discurso, é uma coisa sem fundamento, o que realmente queremos saber é o que estamos pagando”, finalizou.

Valdir Gomes vai conversar com o vereador Papy (SD) presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, para saber se é possível abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar os fatos. "Não sei se abriremos uma comissão, mas vamos analisar", revelou o vereador.

O diretor técnico comercial da Energisa, Paulo Roberto dos Santos, começou o discurso dizendo que “não houve nenhum aumento de tarifa, o que houve foi um aumento de consumo”, em seguida foi vaiado. Santos e justificou que “a Energisa em média compra 460 gigawatt/hora, mas em dezembro, compramos 490 gigawatt/hora de energia, 30 a mais, o que significa o consumo de três cidades como Corumbá, Dourados e Ponta Porã".

O diretor técnico comercial da Energisa disse que isso [os aumentos] tem acontecido no Brasil todo. "Em MS foram 13 recordes históricos e pode colocar todo sistema em sobrecarga", afirmou, acrescentando que não houve aumento de tarifa, mas de consumo. Ele foi vaiado após a fala.

Venicio Leite, idealizador do movimento popular “Energia Cara Não” disse que dentro de um ano, o aumento na tarifa de energia teve um aumento de quase 50%, mas o que foi autorizado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) foi só de 10,8%, pois é ela que decide as políticas comercial de produção tarifaria e de aumentos, a política econômica das concessionárias e distribuidoras de energia, no nosso caso de Mato Grosso do Sul a Energisa e a Electro que estão com os mesmo problemas.

Venicio falou que vão colher as assinaturas para o abaixo assinado até o dia 10 de março, e pretendem mobilizara os vereadores e deputados para que até o dia 15 do mesmo mês, todas as assinaturas serão levadas até a Aneel.

O vereador André Salineiro, ocupou a tribuna e disse “a Energisa não me engana”, ele ainda reclamou do Cosip (Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública dos Municípios) é uma taxa revestida de contribuições e foi enfático em dizer para a distribuidora de energia entregar o contrato se não está satisfeita.

Vai di Vinho

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Caminhoneiros anunciam greve para 25 de julho
Geral
Animais são encontrados mortos no Pantanal e suspeita é de envenenamento
Geral
Conselheiro Waldir Neves responde à operação da PF na qual foi alvo
Geral
Paulo Corrêa anuncia investimentos para Bataguassu
Geral
Cantora gospel que defendia tratamento precoce morre de Covid-19
Geral
Bolsonaro volta a MS no final do mês
Geral
Ex-diretora do Regional, Rosana Melo assume secretaria do Ministério da Saúde
Geral
Sectur abre inscrições para Curso de Mosaico
Geral
Jovem de 27 anos morre após complicações da Covid-19
Geral
Cultura lamenta morte de Lincoln Gouveia

Mais Lidas

Saúde
"É preciso dizer não", diz adjunta da saúde sobre festas na capital
Geral
Jovem de 27 anos morre após complicações da Covid-19
Polícia
Serial Killer: polícia encontra carta dizendo que muita gente deveria morrer
Saúde
Covid - Prefeitura abre cadastro para vacinação de adolescentes