Menu
Menu
Busca quinta, 29 de fevereiro de 2024
Geral

Justiça decreta nova prisão preventiva de Sérgio Cabral

26 janeiro 2017 - 08h16Agência Brasil

A 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro expediu um novo mandado de prisão preventiva do ex-governador Sérgio Cabral. Cabral está preso desde 17 de novembro, sob a acusação de receber propina para fechar contratos públicos no estado. Além dele, outras duas pessoas já presas desde o ano passado também tiveram novo mandado decretado: o ex-assessor de Cabral Carlos Miranda e o ex-secretário Estadual de Governo Wilson Carlos.

Policiais federais também cumprem mandados de prisão preventiva contra outras seis pessoas por envolvimento no mesmo esquema, entre elas o empresário Eike Batista e o advogado Flávio Godinho, vice-presidente de futebol do Clube de Regatas do Flamengo. Também há mandados de prisão contra Álvaro Novis, Sérgio de Castro Oliveira, Thiago Aragão (Ancelmo Advogados) e Francisco Assis Neto.

Quatro mandados de condução coercitiva foram expedidos pela Justiça. Os alvos são a ex-mulher de Cabral Susana Neves, o irmão do ex-governador Maurício Cabral, Eduardo Plass e Luiz Arthur Andrade Correia. Mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em 27 endereços no Rio de Janeiro.

De acordo com o Ministério Público Federal, a operação de hoje, chamada Operação Eficiência, investiga a ocultação de mais de 100 milhões de dólares (R$ 317 milhões), através de remessas para o exterior. Em apenas um ano, de agosto de 2014 a junho de 2015, a organização criminosa movimentou R$ 39,7 milhões, segundo os procuradores responsáveis pela investigação.

Segundo o MPF, um dos esquemas investigados é o pagamento de uma propina de US$ 16,5 milhões ao ex-governador por Eike Batista e Flávio Godinho, do grupo EBX, a pedido de Cabral, usando a conta Golden Rock no TAG Bank, no Panamá. Para dar uma aparência de legalidade à negociação, foi fechado um contrato de fachada para a compra de uma mina de ouro entre a empresa Centennial Asset Mining Fuind Llc, holding de Batista, e a empresa Arcadia Associados.

Eike Batista, Godinho e Cabral também são suspeitos de terem tentado atrapalhar as investigações. Com o auxílio de colaboradores, o MPF já conseguiu repatriar cerca de R$ 270 milhões, que estão à disposição da Justiça Federal em conta aberta na Caixa. A força-tarefa está solicitando cooperação internacional para o bloqueio e posterior repatriação dos valores ainda ocultos em outros países.

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Inscrições para o concurso Caixa 2024 já estão abertas; saiba como fazer
Justiça
Defensoria Pública da União nega integrar grupo para criar cadeia para indígenas em MS
Geral
É hoje! Mega-Sena sorteia prêmio acumulado de R$ 135 milhões
Geral
Estado reconhece 'Situação de Emergência' em Iguatemi por danos causado pela chuva
Geral
Gerson Claro quer inclusão imediata da duplicação da BR-060 em projeto de obras
Geral
Ajuda: ONG da Capital pede doações para continuar com resgates
Geral
Homens ricos investem em média de R$ 3 a 7 mil em um encontro, aponta pesquisa
Interior
Erosão ameaça moradias em Amambai e MPMS investiga prefeitura
Justiça
TJMS decide se "Xande" vai a júri por matar adolescente com três tiros em Campo Grande
Geral
Faculdade Instead sediará o 2º Encontro de Mulheres Empreendedoras em março

Mais Lidas

Vídeos
Vídeo: Travesti bate em jovem e tribunal a pune
Justiça
Ex-secretários de saúde de Glória de Dourados são condenados pelo TCE-MS
Polícia
Bêbadas, mulheres dizem ter sido abandonadas pela PM na BR-163 após suposta abordagem
Geral
Aposentado viaja de motor home com a esposa e já percorreu mais de 120 mil km