Menu
Menu
Busca sábado, 25 de maio de 2024
Secovi
Geral

Justiça manda prender Alberto Youssef

Segundo juiz, doleiro não devolveu todos os valores desviados

21 março 2023 - 06h50Vinicius Costa

A Justiça Federal determinou na segunda-feira (20) a prisão do doleiro Alberto Youssef, um dos delatores da Operação Lava Jato. A decisão foi assinada pelo juiz Eduardo Fernando Apoio, da 13ª Vara Federal em Curitiba, responsável pelo julgamento dos processos oriundos da investigação.

A decisão do magistrado levou em conta informações prestadas pela Receita Federal sobre o patrimônio do doleiro. De acordo com a decisão, Youssef não devolveu aos cofres públicos todos os valores desviados e possui vida incompatível com a “situação da imensa maioria dos cidadãos brasileiros”. Segundo a Receita, ele tentou ainda comprar um helicóptero e um avião.

Além disso, o juiz escreveu na decisão que o principal personagem da Lava Jato mantém diversos endereços e que “estaria morando na praia”.

“Note-se que no acordo de delação, o ora investigado ficou obrigado a devolver apenas uma pequena parte de seu vasto patrimônio (devolver R$ 1.893,00), além de bens imóveis de difícil alienação. Ora, a própria Receita Federal denuncia que o investigado teria se apropriado de valores muito superiores aos valores acordados”, disse o juiz.

Eduardo Apoio também entendeu que o acordo de delação firmado com a Lava Jato não abrange as novas acusações. “O acordo firmado entre os advogados de Alberto Youssef e a força tarefa do MPF de Curitiba não abrange, na minha interpretação, o presente procedimento, na medida em que seria uma carta em branco genérica que envolveria toda e qualquer investigação criminal, inclusive de crimes que sequer foram descobertos na data da assinatura do acordo”, concluiu.

Youssef foi preso em Itapoá, norte de Santa Catarina, e será levado para Curitiba para passar por uma audiência de custódia. O doleiro responde a 28 processos na Lava Jato. Conforme as regras dos acordos de delação, 13 deles foram suspensos pelo prazo de dez anos. As penas somam mais de 32 anos de reclusão.

Reportar Erro
Assembleia - Maio24

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campanha do Agasalho
Geral
Areias da Esperança promove 'Campanha do Agasalho' para arrecadar roupas de frio
Mutirão para emissão de RG de PCDs
Geral
Prefeitura de Campo Grande realiza mutirão para emissão do novo RG de PCDs
Bilhete de aposta da Mega-Sena
Geral
Mega-Sena sorteia prêmio acumulado de R$ 47 milhões neste sábado
Vai pagar? Netflix aumenta preços de assinaturas no Brasil; confira os valores
Geral
Vai pagar? Netflix aumenta preços de assinaturas no Brasil; confira os valores
Atendentes na nova sede do Procon-MS
Geral
Após suspensão, Procon-MS retoma atendimentos por telefone e adota tecnologia VoIP
Tony Ramos deixa o hospital após passar por duas cirurgias cerebrais
Geral
Tony Ramos deixa o hospital após passar por duas cirurgias cerebrais
Sérgio Longen, presidente da FIEMS
Geral
Dia da Indústria: Longen destaca avanço do setor em Mato Grosso do Sul
Energisa abre turmas exclusiva para mulheres em curso de eletricista
Geral
Energisa abre turmas exclusiva para mulheres em curso de eletricista
Mega-Sena promoveu mais um sorteio
Geral
Mega-Sena acumula e prêmio salta para R$ 47 milhões
Corregedoria deve verificar in loco o funcionamento do TJMS
Justiça
Juiz do Amapá é investigado e afastado cautelarmente por ligações com facções

Mais Lidas

Amalha trabalhava como corretora de imóveis
Polícia
Corretora foi morta a pauladas por 'amigo' após não entrar em esquema de golpe
Carro da corretora é encontrado no Indubrasil
Polícia
JD1TV AGORA: Carro de corretora morta é encontrado no Indubrasil
Frio em Mato Grosso do Sul
Clima
Mínima de 7°C: MS pode registrar 'o dia mais frio do ano' nos próximos dias
JD1TV: Jovem é atingida por ácido durante ataque ao voltar da academia
Polícia
JD1TV: Jovem é atingida por ácido durante ataque ao voltar da academia