Menu
Menu
Busca segunda, 15 de abril de 2024
Geral

Parque dos Poderes e das Nações Indígenas ganham estudo fundiário

O Parque dos Poderes abriga os três poderes: legislativo, executivo e judiciário

10 junho 2017 - 12h40Da redação com Assessoria

Com o propósito de assegurar importantes áreas em Campo Grande, a equipe de regularização fundiária e cartografia da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) está desenvolvendo um estudo fundiário sobre toda a extensão territorial do Parque dos Poderes e Parque das Nações Indígenas.

O atual estágio do projeto foi apresentado, nesta terça-feira (6.6), aos secretários de Estado de Administração e Desburocratização (SAD), Carlos Alberto de Assis e de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck. O detalhamento de ambos os estudos foram elucidados pelo gerente de regularização fundiária e cartografia da Agência, André Borges. O diretor-presidente da Agraer, Enelvo Felini, também marcou presença no encontro.

“Nós não tínhamos um estudo dos Parques dos Poderes e nem das Nações Indígenas e sentimos a necessidade de um mapeamento sobre o assunto. É um trabalho para que o Governo do Estado pense em um planejamento das suas ações voltado às duas áreas”, enfatizou André Borges.

O Parque dos Poderes abriga as mais importantes entidades dos três poderes: legislativo, executivo e judiciário. Algumas áreas pertencentes ao município, Estado e União. “Pelo estudo você vê que há áreas que pertenciam ao Governo do Estado e o governo fez doação à União, Justiça Federal e Receita Federal, por exemplo”, observou o secretário da Semagro, Jaime Verruck.

Segundo André Borges, dos dois trabalhos em andamento o mais desafiador deles é o projeto sobre o Parque das Nações Indígenas. “O estudo do Parque das Nações é bem mais complexo do que outro. A nossa equipe teve que estudar matrícula por matrícula dos lotes que constituem o que hoje é o parque”,

Ecologia e lazer

Considerado o maior parque urbano do mundo, com extensão de 119 hectares, o local oferece infraestrutura adequada para a prática de esportes e lazer.

Originalmente chamado “Parque do Prosa”, o Parque das Nações Indígenas é uma das maiores áreas verdes de Campo Grande. Coincidência ou não, a área que, atualmente, forma o principal ponto de lazer da população campo-grandense, já serviu de endereço para práticas agrícolas e, atualmente, coube a Agraer, instituição de agricultura familiar, cuidar do mapeamento de tudo em benefício da preservação ecológica.

No passado, sobre terras férteis de diversos proprietários que se serviam do local para a produção de hortifrutigranjeiros e para a criação de animais de pequeno porte, o governo estadual resolveu instalar esta área de lazer, por causa da posição geográfica privilegiada – nos altos da Avenida Afonso Pena.

Mapas foram colocados à disposição do público da reunião para conferência. “É um belo trabalho cartográfico que vai ajuda a preservar e a planejar as futuras instalações tanto do Parque dos Poderes como do Parque das Nações Indígenas. O resultado final será levado ao conhecimento do governador Reinaldo Azambuja. Este é mais um trabalho que a Agraer vem desenvolvendo para contribuir com a gestão estadual”, afirmou o dirigente da Agência, Enelvo Felini.

No ano passado, a Agraer havia entregado um mapa detalhado do Parque dos Poderes, com informações atualizadas de cada lote onde estão alocadas as secretarias, autarquias e outras entidades das esferas do Executivo, Legislativo e Judiciário. “Se vê que é um trabalho muito bem feito pela equipe da Agraer. Acredito que, na história do Estado, é um estudo inédito. Todas as documentações geradas auxiliarão nossas decisões futuras”, enfatizou secretário da SAD, Carlos Alberto Assis.

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Juiza Gabriela Hardt, juiz Danilo Pereira Júnior e os desembargadores Carlos Eduardo Thompson Flores e Lenz Loraci Flores De Lima /
Justiça
"Graves infrações" afastam juíza da Lava Jato e mais 3
Vereadora Marinalva de Souza Farias da Costa (PSDB) /
Interior
Vereadora de Caarapó é condenada por irregularidades nas contas
Magali Picarelli - Foto: Reprodução /
Justiça
Exonerações na Câmara Municipal de Campo Grande atingem até Magali Picarelli
UFMS inicia ação da 'Semana de Arrecadação do Lixo Eletrônico'
Geral
UFMS inicia ação da 'Semana de Arrecadação do Lixo Eletrônico'
Odilon Ferraz Alves Ribeiro /
Interior
TCE aponta irregularidades em licitação e multa prefeito de Aquidauana
Agetran divulga lista de multas aplicadas de 21 a 31 de março
Cidade
Multas de trânsito: saiba se você foi "canetado" entre 21 a 31 de março
Sede do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul - TCE/MS
Justiça
TCE-MS condena ex-presidente da Câmara de Jateí por irregularidades orçamentárias
Foi pra vala: Morador reclama após carro cair em buraco no Serraville
Geral
Foi pra vala: Morador reclama após carro cair em buraco no Serraville
Estande da Aratech
Geral
Expogrande: Balanço inicial aponta giro de R$ 350 milhões
Captação de água no Rio Paraguai, em Corumbá
Geral
Sanesul e Sejusp se juntam para combater fraudes em ligações de rede de água

Mais Lidas

Vítima foi atingida por pelo menos três disparos
Interior
Empresário é assassinado a tiros por dupla em motocicleta em Bela Vista
Vítima bateu de forma violenta contra o muro
Polícia
AGORA: Motociclista morre após bater em muro de condomínio no Monte Castelo
Artistas confirmadas na Expogrande 2024
Comportamento
Expogrande 2024 divulga programação dos shows; confira as datas
Sósia do Lula em Campo Grande
Comportamento
Sósia do Lula faz sucesso em evento presidencial na Capital; assista