Menu
Menu
Busca sábado, 22 de junho de 2024
TJMS - Jun24
Geral

Zika: risco de microcefalia em fetos varia entre 1% e 13%, mostra estudo

26 maio 2016 - 15h54

Um feto infetado com o vírus Zika corre um risco de desenvolver microcefalia entre 1% e 13% durante o primeiro trimestre de gravidez, segundo um estudo publicado ontem (25) na revista New England Journal of Medicine.

Os investigadores dos centros norte-americanos de Controle de Doenças chegaram a esta estimativa criando um modelo matemático baseado em estatísticas de infeções pelo vírus Zika e de casos de microcefalia na Polinésia Francesa, que sofreu um surto em 2013, bem como no estado da Bahia no Brasil.

Esta malformação congênita irreversível, habitualmente rara, resulta em bebês que nascem com o crânio anormalmente pequeno e apresentam desenvolvimento cerebral incompleto.

Normalmente, a microcefalia é rara, verificando-se em 0,02% a 0,12% dos nascimentos nos Estados Unidos. A frequência de outras malformações de nascença mais habituais, como a trissomia 21, é inferior a 1%.

Essa é a primeira estimativa de risco de microcefalia em fetos de mulheres que foram infetadas durante a atual epidemia. Os investigadores dos centros de controlo de doenças e da Universidade de Harvard determinaram que há uma relação muito forte de causa-efeito entre uma infecção pelo vírus Zika durante o primeiro trimestre da gravidez e o risco de microcefalia no feto, que se torna irrelevante no segundo e terceiro trimestres de gestação.

O Brasil, onde o Zika é majoritariamente transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, é o país, até o momento, mais afetado pelos casos de microcefalia, mas o cenário poderá repetir-se em outros locais.

“Se o risco de infeção pelo Zika nas mulheres grávidas e de microcefalia nos fetos que carregam é semelhante noutras zonas geográficas onde o vírus ainda não está propagado, podemos esperar muitos casos de microcefalia e outros efeitos cerebrais nefastos”, afirma o estudo.

No Brasil, há registo de cerca de 3,6 mil grávidas infectadas pelo Zika desde janeiro. Desde o início da epidemia, em 2015, contam-se mais de 1,4 mil casos de microcefalia e de outros problemas neurológicos confirmados.

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Harley-Davidson tem data para fechar na Capital
Geral
Harley-Davidson fechará loja de Campo Grande em julho
Charles foi indiciado por homicídio contra Michelli e tentativa de homicídio contra amigos
Cidade
Juiz desconsidera laudo e condena motorista a 21 anos de prisão por morte na Capital
Apostas podem ser realizadas em casas lotéricas
Geral
Com prêmios milionários, Quina de São João e Mega-Sena serão sorteadas hoje
Motorista de avião morre durante voo
Geral
Piloto de avião morre durante voo e copiloto faz aterrissagem de emergência
Fumaça saindo do alto da torre da Câmara dos Deputados
Geral
Fumaça na torre da Câmara assusta moradores de Brasília
Linn da Quebrada
Geral
Linn da Quebrada é internada para tratar depressão
Rodolpho Mangialardo
Geral
JD1TV: 'MS pela Vida' conserta mais de 200 eletrodomésticos de vítimas das enchentes no RS
Celeste Arantes, a 'Rainha-mãe', ao lado de Edson Arantes do Nascimento, o 'Rei' Pelé
Geral
Morre Celeste Arantes, mãe de Pelé, aos 101 anos
Conselheiro Jerson Domingos -
Justiça
Jerson Domingos quer que processo sobre Omertà fique em MS
Foto: Sérgio Saturnino
Geral
AMHASF publica lista de pessoas cadastradas para a regularização fundiária na Homex

Mais Lidas

Polícia Civil esteve na empresa em que aconteceu o acidente de trabalho
Polícia
Trabalhador morreu prensado após esquecer de puxar freio de mão de caminhão
Breno Souza Firmino, de apenas 16 anos, atuava como volante na equipe SUB-17 da Portuguesa
Polícia
Adolescente de time de MS morre na Capital
Moradora de Ponta Porã morre ao ter AVC aos 37 anos
Polícia
Moradora de Ponta Porã morre ao ter AVC aos 37 anos
Cabo Almir e Sargento Santos do 10° Batalhão da Polícia Militar
Polícia
Policial morto estaria envolvido em esquema de tráfico e roubo junto com o sargento