Menu
Busca terça, 22 de junho de 2021
(67) 99647-9098
Senar - junho21
Internacional

Cúpula no Uruguai defende solução interna para a Venezuela

Bolívia, Itália e Uruguai não reconhecem o presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, como presidente interino da Venezuela

10 fevereiro 2019 - 16h16Agência Brasil

O Grupo de Contato Internacional (GCI) para a Venezuela, que se reuniu na semana passada em Montevidéu, decidiu enviar uma missão técnica ao país para dialogar com o governo e a oposição.

O grupo deixou claro que o fim da crise deve ser uma "solução venezuelana", em linha com a posição inicial da chefe da diplomacia europeia, a italiana Federica Mogherini, que defende a não intervenção no país.

O chanceler do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa, disse que "a solução tem que ser venezuelana, porque a outra alternativa é o caos, é a confrontação e, com toda certeza, pode ser o conflito armado".

O grupo também apelou à realização de eleições presidenciais livres, segundo a declaração divulgada ao final do encontro, assinada por todos os países participantes, com exceção da Bolívia e do México, que não faz parte do grupo de contato, mas participou da reunião.

"O grupo apela à criação de uma abordagem internacional comum para apoiar uma resolução pacífica, política, democrática e integralmente venezuelana da crise, excluindo o uso da força, por meio de eleições presidenciais livres, transparentes e credíveis, de acordo com o Constituição venezuelana", diz a declaração.

Mogherini também destacou que a União Europeia (UE) já mobilizou ajuda para a Venezuela, no valor de 60 milhões de euros, aos quais se somarão mais 5 milhões. Ela afirmou que a ajuda humanitária deve ser canalizada de forma imparcial e não deve ser politizada e que a UE está disposta a abrir em Caracas um escritório para gerenciar essa assistência.

Participaram da primeira reunião do GCI a UE, que esteve representada por Mogherini e por oito Estados-membros: Portugal, Espanha, Itália, França, Alemanha, Reino Unido, Holanda e Suécia. Do lado da América Latina, estiveram presentes a Bolívia, Costa Rica, o Equador, México e Uruguai.

Novoa disse que a participação no grupo está aberta a outros países e destacou a "confluência" com o chamado Mecanismo de Montevidéu, uma iniciativa proposta pelo México e o Uruguai e que consta de quatro etapas, centradas no diálogo imediato, na negociação, nos compromissos e implementação.

Sobre o Mecanismo de Montevidéu, Mogherini afirmou que, apesar de não ser incompatível, tem objetivos diferentes aos do Grupo Internacional de Contato.

Dos membros do grupo, três (Bolívia, Itália e Uruguai) não reconheceram o presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, como presidente interino da Venezuela.

Para o Brasil, que não participa do Grupo Internacional de Contato sobre a Venezuela, a iniciativa "não é útil" e só servirá para prolongar por mais tempo no poder o presidente Nicolás Maduro.

Senar - square junho21

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
Espanha se prepara para desobrigar máscaras em espaços públicos
Internacional
Reino Unido aplicará multa de R$ 70 mil para noivos que furarem protocolo Covid
Internacional
Israel burla cessar-fogo e ataca localizações do Hamas em Gaza
Internacional
Moscou sorteia carros para quem tomar vacina contra a Covid-19
Internacional
Em 40 segundos, pescador é engolido e cuspido vivo por baleia jubarte
Internacional
Vídeo: Paraquedista interrompe jogo e leva cartão amarelo de juiz
Internacional
Vídeo: Mulher faz protesto nua e quebra Outback
Internacional
EUA vão doar 500 milhões de doses da Pfizer a países pobres; Brasil fica de fora
Internacional
China desenvolve vacina contra covid-19 por inalação
Internacional
Solo se abre e cria buraco com mais de 90 metros no México

Mais Lidas

Geral
Foi convocado? Agehab divulga lista de beneficiários para ocupação de imóveis
Polícia
Menina de 11 anos era estuprada pelo pai no trajeto da igreja
Polícia
Bandido morre após tentar assaltar policial
Geral
Morta pelo marido, Lindinalva era professora e deixa dois filhos