Menu
Busca terça, 07 de abril de 2020
(67) 99647-9098
TJMS Topo
Internacional

EUA e Talibã do Afeganistão retomam negociação de paz

Cerca 2.400 militares norte-americanos foram mortos na guerra

07 dezembro 2019 - 16h40Jônathas Padilha, com informações da Agência Brasil

Os talibãs do Afeganistão confirmaram neste sábado (7) a retomada das negociações com os Estados Unidos (EUA) em Doha, no Catar.

Retomada aconteceu três meses após o presidente norte-americano, Donald Trump, ter cancelado as conversações, depois de um ataque em Cabul, que morreu um soldado americano.

Suhail Shaheen, porta-voz dos talibãs no Catar, fez a seguinte publicação em sua conta no Twitter. "Hoje, a equipe de negociação do emirado islâmico, liderada pelo respeitado mulá Baradar Akhund, número dois dos talibãs, retomou as negociações com a equipe de negociação dos Estados Unidos a partir de onde foram suspensas", tweetou.

O porta-voz ainda disse que as negociações continuam nesse domingo (8) e que Anas Haqqani, filho do fundador da rede Haqqani, importante ramo da rebelião talismã, libertado em novembro de uma prisão afegã como parte de uma troca de prisioneiros, participou dessa negociação como membro da delegação talibã.

Haqqani e mais dois prisioneiros do talibã foram libertados pelo governo afegão em troca de dois professores universitários ocidentais, como medida de reforço da confiança, para abrir caminho à retomada das negociações.

A libertação serviu também para aproximar posições entre o governo afegão e os talibãs, que se recusam a negociar pessoalmente com o presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani. Os talibãs o consideram “fantoche do ocidente”.

Zalmay Khalilzad foi o enviado dos Estados Unidos para a reconciliação e desempenhou um papel ativo no intercâmbio de prisioneiros.

Khalilzad chegou ao Afeganistão na quarta-feira (4) e realizou uma série de reuniões com líderes e políticos no país, incluindo o presidente Ghani.

Ghani pediu para Khalilzad levar em consideração que para iniciar o processo de paz, os talibãs devem aceitar um cessar-fogo e as conversações devem abordar a questão dos refúgios dos talibãs no vizinho Paquistão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
Ator Jay Banedict é mais uma vítima fatal do coronavírus
Internacional
Primeiro-ministro da Irlanda volta à medicina para atuar na pandemia
Internacional
EUA são acusados de desviar equipamentos que iriam para Brasil, Alemanha e França
Internacional
Repatriados: Brasileiros vindos da Bolívia chegam a Corumbá
Geral
Mistura de arroz com feijão na mesa dos brasileiros cai 40% em 15 anos
Internacional
Cientista alemão afirma que coronavírus não passa por objetos
Internacional
Cidade da China proíbe população de comer carne de gatos e cachorros
Internacional
Enfermeiro mata a namorada médica e justifica: 'Me passou coronavírus'
Internacional
Vídeo mostra cadáveres de vítimas do coronavírus nas ruas do Equador
Internacional
Bebê de 6 semanas morre de coronavírus, diz governador

Mais Lidas

Saúde
Mandetta permanece na Saúde
Saúde
Mais uma idosa morre de coronavírus em MS
Política
Seguro-desemprego poderá ser pago por até dez meses
Brasil
Brasil tem 553 mortes e 12.056 casos confirmados de coronavírus, diz ministério