Menu
Busca quinta, 24 de junho de 2021
(67) 99647-9098
Governo - Feminicidio
Internacional

Nelsinho acredita em liberdade a brasileiro preso na Rússia

Senador levou carta do presidente Bolsonaro ao governo russo

29 outubro 2020 - 16h36Joilson Francelino

O presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal, senador Nelsinho Trad, disse que “há vontade” por parte da Rússia em dar solução ao caso do brasileiro Robson Oliveira, preso em Moscou há mais de um ano e meio.

Nelsinho cumpriu quatro compromissos diplomáticos com autoridades da Rússia e entregou a carta do presidente Jair Bolsonaro ao ministro de Relações Exteriores Sergev Ryabkov. Em conversa com o ministro russo, o senador brasileiro sentiu a intenção das autoridades russas em ajudar Robson e que pretendem concluir o mais rápido possível o julgamento. “– Há um respeito muito grande por aqui para não haver atropelamento entre os poderes. Nem no do Judiciário no Executivo ou vice-versa. Por isso, nos deixaram bem claro aqui que qualquer medida que possa vir a ser tomada no âmbito da democracia precisa de uma sentença já proferida. Ou seja, mesmo que haja perdão diplomático, isso só vai ser decidido depois do julgamento”, esclareceu o senador Nelsinho Trad.

O senador retorna amanhã para o Brasil. Para o parlamentar, todos os procedimentos foram tomados nesses dias em favor de Robson. Ele chegou no fim da tarde de terça, ontem já entregou a carta enviada por Bolsonaro, se reuniu com o presidente do Comitê de Assuntos Internacionais do Conselho de Federação, senador Konstantin Kosachyov e, hoje, participou de reunião com o diretor do Departamento de Cooperação Internacional de Skolkovo, Maksim Romanov, e depois com o Grupo Parlamentar Brasil- Rússia da Duma de Estado, coordenado pelo deputado Maksim Shchablykin. “Nós fizemos o papel de ouvinte da população brasileira, cumprimos a missão diplomática e senti que o nosso apelo tocou as autoridades da Rússia”!

A investida de Bolsonaro e Nelsinho foi elogiada pela deputada estadual (PSL-SP), Janaina Paschoal. “Meus cumprimentos ao Presidente Jair Bolsonaro e ao Senador Trad, por atuarem em defesa deste injustiçado brasileiro. Quem leva remédio a um doente não pode ser tratado como traficante! Pedimos clemência a Putin!”, escreveu a parlamentar no Twitter.

ENTENDA - Robson Oliveira está preso em Moscou porque levou um medicamento ao país, para atender o sogro de seu ex-patrão o jogador Fernando que na época jogava pelo Spartak de Moscou. O uso desse produto mytedon (cloridrato de metadona) é proibido na Rússia, quem solicitou a encomenda não fez nenhum depoimento à polícia e, desde então, Robson ficou detido.

O jogador foi contratado pelo Beijing Guoan e se mudou para China e Robson teve a prisão prorrogada até abril de 2021. A situação gerou comoção e o presidente Bolsonaro pediu aos russos a liberdade de Robson.

 

Vai di Vinho

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
Civil encontra menino nos destroços de prédio que desabou em Miami
Internacional
Vídeo: câmeras flagram momento em que prédio desaba em Miami
Internacional
Idosa descobre ter US$ 1 bilhão em conta ao tentar sacar 20 dólares
Internacional
Vídeo: elefante invade cozinha de residência atrás de comida na Tailândia
Internacional
Espanha se prepara para desobrigar máscaras em espaços públicos
Internacional
Reino Unido aplicará multa de R$ 70 mil para noivos que furarem protocolo Covid
Internacional
Israel burla cessar-fogo e ataca localizações do Hamas em Gaza
Internacional
Moscou sorteia carros para quem tomar vacina contra a Covid-19
Internacional
Em 40 segundos, pescador é engolido e cuspido vivo por baleia jubarte
Internacional
Vídeo: Paraquedista interrompe jogo e leva cartão amarelo de juiz

Mais Lidas

Polícia
Mãe confessa que matou bebê de 5 meses afogada, em Campo Grande
Polícia
Bebê de 5 meses foi morta afogada, porque mãe drogada queria tirar 'chip da besta'
Polícia
Bebê de 5 meses morre após suspeitas de violência sexual, em Campo Grande
Polícia
Com câncer em estado avançado, idoso comete suicídio na varanda de casa