Menu
Busca segunda, 22 de julho de 2019
(67) 99647-9098
Justiça

Após atacar bar no Facebook, críticos terão que pagar indenização

Manifestações extrapolaram exercício do direito de crítica, afirma TJ/SP

14 julho 2019 - 13h35Rauster Campitelli, com informações do Migalhas

Após postarem mensagens no Facebook criticando um bar e o proprietário do estabelecimento, Jovens de Sorocaba (SP) terão que pagar uma indenização no valor de R$ 20 mil. A sentença condenatória foi confirmada pela 9ª câmara de Direito Privado do TJ/SP.

A ação foi ajuizada sob a alegação de que os réus estavam no bar e, após pagarem a conta, envolveram-se em uma discussão na via pública com um terceiro, que também é frequentador do estabelecimento. Depois da discussão, um dos autores foi informado por um funcionário da casa sobre o ocorrido e que o caso já havia sido resolvido.

No entanto, o proprietário do local foi surpreendido com publicações feitas pelos réus a seu respeito, bem como do seu estabelecimento. As postagens mencionavam expressões como “lixo de bar”, “bar escroto” e “bar de merda”, “o dono do bar legitima a agressão”, além de sugestões de boicotes ao estabelecimento.

O desembargador José Aparício Coelho Prado Neto, relator dos recursos, esclareceu que os réus possuem o direito de expressarem suas opiniões, porém, ao analisar as mensagens, ele concluiu que as manifestações extrapolaram o exercício do direito de crítica ao estabelecimento comercial e seu proprietário.

Para Prado Neto, os comentários apresentam caráter ofensivo e depreciativo, “que certamente afeta o estabelecimento comercial e o seu proprietário, ora autores, na medida em que o alcance das informações disponíveis na internet é indiscutível”.

“Tanto é verdade que restou demonstrado nos autos o número expressivo das pessoas que compartilharam e comentaram as publicações feitas pelos réus. Assim, a publicação de comentários ofensivos ao nome e à credibilidade do estabelecimento autor, como de seu proprietário ou qualquer outra pessoa, deve ser coibida, uma vez que o direito a livre manifestação de pensamento e expressão não autoriza a violação da imagem e honra de outrem”.

1/4 colchões

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
"Decisão sobre dados do COAF não impede investigações", diz Toffoli
Justiça
Rigo entra com recurso baseado em decisão de Toffoli
Justiça
TJ derruba liminar e mantém oito horas
Justiça
Procon encontra irregularidades em agência do Banco Bradesco
Justiça
"Não tenho fazenda nenhuma”, dispara Nelsinho sobre decisão judicial
Justiça
TJ-MS disciplina programa de residência judicial
Justiça
STF rejeita recurso que anularia condenação de Lula
Justiça
STF volta atrás e vai julgar HC de Lula nesta terça
Justiça
STF adia julgamento de habeas corpus de Lula
Justiça
Juíza determina internação de suposto líder do PCC em clínica particular

Mais Lidas

Polícia
Acidente na BR-262 mata dois em Rio Pardo
Economia
Abono salarial começa a ser pago na quinta-feira; confira calendário
Polícia
Homem é executado por pistoleiros em conveniência
Geral
Homem chega ao sítio do pai e comete suicídio