Menu
Busca sexta, 14 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
TJMS agosto/20
Justiça

Ministério Público abre inquérito para investigar estudante picado por naja

Pedro Henrique Krambeck também é investigado pela polícia civil, já que não possuía permissão para criar o animal

14 julho 2020 - 13h54Sarah Chaves, com informações do R7

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) abriu inquérito para investigar por suspeita de tráfico de animais, o estudante Pedro Henrique Krambeck Lehmkuhl, de 22 anos, picado por uma naja.

Estudante de medicina veterinária, Krambeck também é investigado pela polícia civil, já que não possuía permissão para criar o animal, que não podia ser mantido em domicílio de forma domesticada.

Conforme o R7, o Ministério Público relatou que acompanha o caso junto à polícia e aguarda a conclusão do inquérito para tomar as medidas cabíveis. A expectativa é que Pedro Henrique preste depoimentos à polícia ainda esta semana.

O jovem foi picado pela naja na última terça-feira (7) e teve de ser internado logo depois do episódio em um hospital privado na Região Administrativa do Gama, a 30 quilômetros do centro de Brasília. O quadro evoluiu para estado grave, e Krambeck foi colocado em coma induzido. Na segunda (13), ele teve alta do hospital.

A cobra naja, encontrada atrás de um shopping no Distrito Federal, foi encaminhada ao Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recurso Naturais Renováveis), que a repassou ao Zoológico de Brasília.

Após denúncia anônima, aa quinta-feira (9), o Batalhão de Polícia Militar Ambiental encontrou, em uma área rural de Planaltina, que fica a cerca de 40 quilômetros de Brasília, mais 16 serpentes escondidas em caixas. Segundo a corporação, a descoberta tem relação com a naja encontrada anteriormente.

Na sexta-feira (10), a Polícia Civil descobriu outras sete serpentes. Os animais foram encontrados em uma outra chácara, na Região Administrativa de Samambaia.

A polícia divulgou apenas que continua as investigações de indícios de tráfico internacional de animais. Isso porque tanto no caso da naja como de outras espécies, os animais eram oriundos de ecossistemas de fora do país.

 

Senar - agosto2020

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
STJ manda Queiroz de volta para a cadeia
Justiça
Servidor desviava materiais da Sefaz para vender
Justiça
Atacadão pagará R$ 15 mil a cliente acusado de furtar tequila
Justiça
Paraguai não acha provas contra Ronaldinho e ex-jogador pode ser inocentado
Justiça
“Se não contermos a pandemia, colapso na Saúde é invitável”, diz defensor-geral de MS
Justiça
AO VIVO: Audiência de “fechamento” termina sem acordo
Justiça
AO VIVO: Audiência do “fechamento”, o que pensam as partes?
Justiça
Juiz barra presença de vereador em reunião de conciliação
Justiça
Indústria terá assento em audiência amanhã sobre “fechamento” da capital
Justiça
Justiça: Drogasil terá que indenizar cliente por assédio de atendente

Mais Lidas

Geral
Rotary Club Cidade dos Ipês promove a 1ª Feijoada em sistema drive thru
Saúde
Campo Grande melhora avaliação na pandemia
Geral
Campanha arrecada as primeiras 1 mil bolsas de sangue na capital
Política
“Muita Tristeza, parece que caiu uma bomba atômica”, diz Nelsinho no Líbano