Menu
Busca quarta, 05 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Polícia

Jovem picado por naja pode ser investigado por tráfico de animais

Pedro Henrique deve prestar depoimento "assim que estiver em condições"

11 julho 2020 - 07h40Sarah Chaves, com informações do G1

Após o jovem Pedro Henrique Santos Krambeck Lehm, de 22 anos, estudante de veterinária quem foi picado por uma cobra Naja kaouthia, em Brasília, Polícia Civil investiga suposto esquema de tráfico de animais silvestres.

Três colegas dele, incluindo o rapaz que teria abandonado a naja, na última quarta-feira (8), perto de um shopping, no Lago Sul, foram ouvidos pela 14ª DP, do Gama, nesta sexta (10).

Segundo o delegado Ricardo Bispo, da 14ª Delegacia de Polícia, do Gama, o princípio da investigação começou para saber a origem da naja que picou Pedro Henrique.

Pedro Henrique deve prestar depoimento "assim que estiver em condições".

Conforme os policiais, na casa do jovem, no Guará, foram encontrados objetos que indicavam que no local eram criadas outras serpentes. "A investigação revela um possível esquema de tráfico de animais. Vamos investigar a origem dessas cobras, como chegaram no Brasil", disse o delegado.

Segundo o delegado Ricardo Bispo, da 14ª DP, os jovens são de classe média e classe média alta e cursam medicina veterinária em uma instituição particular. A Faculdade Faciplac, do Gama, confirmou ao G1 que Pedro Henrique estuda na instituição.

Em nota, a instituição disse que "o Centro Universitário do Planalto Central Aparecido dos Santos (UNICEPLAC), assim como a coordenação do curso de Medicina Veterinária, informam que não tinham conhecimento da posse de nenhuma cobra ou outros tipos de animais silvestres entre os alunos".

De acordo com a gerente da clínica cirúrgica do Zoológico de Brasília, Fernanda Mergulhão, a equipe de medicina veterinária e de biologia fez a coleta de sangue e a análise clínica e comportamental das serpentes.

"Os animais provavelmente não viviam nas condições ideais para um réptil, com umidade adequada, com frequência de alimentação adequada, justamente, pela escore corporal desses animais", disse a veterinária.

Segundo o zoo, a naja que picou o estudante não saiu da caixa. Conforme os biólogos, o animal está estressado e pode atacar de novo. "Como não tem soro contra o veneno da serpente no Brasil, a orientação, por enquanto, é ninguém mexer", explicou a veterinária.

 

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Vítima da depressão, homem usa cinto para se enforcar no Taquarussu
Polícia
Vídeo: Policial invade casa e agride mulheres com cassetete
Polícia
Durante roubo, gestante é agredida e sofre tentativa de estupro
Polícia
Vídeo - Filho de vereador bebe com amigos após furtar ambulância
Polícia
Adolescentes abandonam filhote de jacaré em petshop do Amambaí
Polícia
Casal de traficantes capota veículo com recém-nascido dentro
Polícia
Travesti é presa após dar "mata leão" e roubar motorista de aplicativo
Polícia
Em MS, peladão destrói motel e vai parar na delegacia
Polícia
Adolescente de 14 anos é espancada e mantida em cárcere privado
Polícia
Idosa de 75 anos tenta entrar em presídio com misto de cocaína e carne

Mais Lidas

Justiça
"Fecha ou não fecha", Justiça dá três dias para Marquinhos se posicionar
Internacional
Área de explosão tinha galpões com produto químico, diz Governo Libanês
Justiça
TJ bate recorde em julho
Internacional
Sobe para 50 número de mortos por explosão em Beirute