Menu
Busca quarta, 21 de outubro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS outubro20
Justiça

Projeto que agiliza divórcio de vítima de violência é aprovado na Câmara

Proposta que altera a Lei Maria da Penha, facilita o processo de separação das vítimas

03 outubro 2019 - 14h14Sarah Chaves, com informações da Agência Brasil

O projeto de lei 510/19 do deputado Luiz Lima (PSL-RJ) foi aprovado no plenário da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (3), a proposta que altera a Lei Maria da Penha, facilita o processo de separação das vítimas de violência doméstica.

O texto propõe que o juiz responsável pela ação de violência doméstica também poderá decretar o divórcio ou a dissolução da união estável a pedido da vítima. A matéria agora segue para sanção presidencial.

A proposta também garante às vítimas de violência o direito à assistência jurídica. Caso a situação de violência doméstica comece após o pedido de divórcio ou dissolução da união estável, a ação terá preferência no juízo onde estiver em tramitação.

Prioridade

O texto altera o Código de Processo Civil para dar prioridade à tramitação das ações em que a parte seja vítima de violência doméstica em toda a justiça cível. A mudança foi incluída no Código de Processo Civil e vale para as ações de separação e para pedidos de reparação.

Para o autor do projeto, facilitar o divórcio das vítimas de violência é um processo simples, mas muito relevante para as famílias e para garantir que a violência não se repita

A relatora, deputada Erika Kokay (PT-DF), destacou a importância do projeto para que o juiz responsável pela ação de violência doméstica possa decretar a separação para “desconstruir os vínculos que provocaram muito sofrimento na mulher, nas crianças e no conjunto da sociedade”.

O texto aprovado também determina que o juiz e a autoridade policial deverão informar a vítima sobre eventual ajuizamento de pedidos de separação. E, se for o caso, o juiz tem 48 horas para encaminhá-la às defensorias públicas para que solicite a separação.

CertFica

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
MS agora tem comitê de enfrentamento à violência contra LGBT+
Justiça
Apartamento novo com pisos rachados vira caso de justiça
Justiça
TJMS aposta em série para abordar igualdade de gênero
Justiça
Por duplicidade de candidaturas, Justiça suspende pesquisa Ibope
Justiça
STJ autoriza soltura de presos que não pagaram fiança
Justiça
Justiça reconhece jornada exaustiva de motoristas da Eldorado
Justiça
Ministra do STF nega habeas corpus a Flordelis
Justiça
Foragido estava “escondido” em endereço ligado a vereador
Justiça
Procon autua mercados por vender produtos vencidos desde 2017
Justiça
Parceria do TSE, Twitter e TikTok visa combater desinformação

Mais Lidas

Cidade
Esclarecido! Raio provocou "piscada de luz" em Campo Grande
Geral
Mini apagão? “Piscada de luz” assusta campo-grandenses
Polícia
Mulher impede assalto "soltando os cachorros" em cima de bandido
Polícia
Dois homens são presos com 157kg de maconha